Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Posição marcada

José Dirceu deve ser afastado, dizem advogados.

Por 

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, deve ser afastado porque contamina o governo. A afirmação é do presidente da OAB, Roberto Busato, e reflete a posição da maioria dos dirigentes das Seccionais. Pelo menos é o que mostra enquete feita pela revista Consultor Jurídico durante a reunião de presidentes das OABs, em Curitiba, nesta sexta-feira (26/3).

Foram distribuídos 25 questionários com perguntas de interesse da advocacia que serão publicadas na revista ConJur nos próximos dias. Do total, 15 opinaram pelo afastamento de Dirceu, sete pelo não afastamento e dois presidentes de seccionais deixaram a questão em branco. Um presidente de OAB estadual disse que não responderia nenhuma das perguntas.

Para um deles, “a simples suspeição do ministro gera instabilidade política”. Outro dirigente de Seccional disse que Dirceu deve ser afastado porque “o desgaste político traz prejuízos” ao país.

Durante toda a semana em Brasília predominaram rumores sobre a saída do ministro do governo. No dia 13 de fevereiro deste ano foram divulgados os diálogos de uma fita de vídeo em que o então assessor parlamentar do Planalto -- Waldomiro Diniz -- aparece pedindo propina a um empresário de jogos. A conversa foi gravada em 2002 quando Diniz era presidente da Loterj no governo Benedita da Silva (PT).

 é editora da revista Consultor Jurídico e colunista da revista Exame PME.

Revista Consultor Jurídico, 26 de março de 2004, 16h19

Comentários de leitores

5 comentários

Ao texto apresentado deve-se atentar que a prop...

Alvaro Benedito de Oliveira (Advogado Autônomo)

Ao texto apresentado deve-se atentar que a proposta é de AFASTAMENTO e não de DEMISSÃO OU EXCLUSÃO do Min.José Dirceu, medida esta de carater preventivo que parece atender, inclusive ao bom andamento dos trabalhos investigativos pelos diversor orgãos envolvidos, sem que haja constrangimento diario pela função exercida pelo Ministro, por contaos pessoais. Assim se nada constatado ou provado que se lhe possa tribuir como ato impróbuo, o mesmo voltaria a assumir, de imediato , suas funções;

É indisfarçável o constrangimento que José Dirc...

Marcelo Tacca (Advogado Autônomo - Civil)

É indisfarçável o constrangimento que José Dirceu tem causado ao Governo Lula. Sustentar que não conhecia Waldomiro Diniz quando o nomeou, nem o seu envolvimento com o jogo, é uma estultice. Na cabeça de quem cabe a idéia que um ministro da Casa Civil nomeia um assessor com as funções de Diniz, sem antes tirar informações do escolhido? Alguém supõe que Diniz foi escolhido aleatoriamente? Evidente que não, mormente quando se sabe que Waldomiro foi assessor de Dirceu na CPI do Collor e repartiu com ele um apartamento em Brasília. Diante disso, Dirceu conhecia ou não Waldomiro Diniz? A posição dos Presidentes da OAB reflete aquilo que a sociedade já anseia:- Dirceu compromete o Governo, flexibiliza a ética do PT - até então uma bandeira intocável- e sua permanência impede que os fatos sejam postos em pratos limpos. Há momentos na vida que o homem público tem que desconfiar quando faz mal ao cargo que exerce.

Li o comentário do colega Sunda Hufufuur atribu...

Valdecir Trindade (Advogado Autônomo - Trabalhista)

Li o comentário do colega Sunda Hufufuur atribuindo à OAB um posicionamento "alarmista". Não sei porque se surpreender com o alarme, vez que o alarme nada mais é que uma forma de chamar a atenção para se resolver problemas que podem se tornar insolúveis ou gravemente danosos. Portanto, o alarme é sadio, é necessário e previne danos de difícil reparação. E se o alarme vem das lideraças da OAB, não podemos deixar de dar-lhe crédito, porque as lidarenças da OAB são constituídas por homens cultos, sensíveis, ponderados e líderes: verdadeiras antenas da sociedade. Associe a isso a história da OAB nas lutas pelos direitos da cidadania e constatar-se-á que essa entidade nunca se prestou e jamais se prestará como caudatária da mídia. Basta lembrar a luta pelas diretas, momento em que a mídia atrelada ao sistema sequer divulgava as manifestações pelas liberdades políticas. Mas a OAB sempre esteve lá. No atual momento ela não poderia estar a margem da lisura, da ética e dos compromissos com o povo. E, finalizando, para o insatisfação de aúlicos, a OAB sempre fará soar o alarme quando necessário.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/04/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.