Consultor Jurídico

Notícias

O troco

Separação repentina dá direito a indenização por danos morais

Comentários de leitores

6 comentários

zzzz

bregafo (Assessor Técnico)

zzzz

E se isto acontece com o homem, gera indenizaçã...

Augusto Roque de Castro (Outros - Internet e Tecnologia)

E se isto acontece com o homem, gera indenização também?

Entendo, que trabalhos como esse no meu ponto d...

Flavio Correa Rochao (Advogado Autônomo - Família)

Entendo, que trabalhos como esse no meu ponto de vista devem ser elogiados, tanto para o advogado da Autora quanto a decisão do magistrado. Precisamos, como causídicos, Promotores, juizes encontrar saídas para alguns casos como o exemplo dado neste processo, onde houve a condenação, entretanto, salvaguardando o direito do réu em se socorrer do recurso adequado, caso acredite em sua tese de defesa.

Caro Paulo Roberto Peres Quintas Junior. Pos...

Renato Tiusso Segre Ferreira ()

Caro Paulo Roberto Peres Quintas Junior. Posso-lhe afirmar, categoricamente, que o caso acima conforme narrado na sentença, tratava-se de pessoas "sadias", comuns que tiveram a infelicidade da separação no estado de convivência. A justiça foi feita, embora caiba recurso, o marido "convivente" agiu de forma consciente para a ruptura conjugal, ensejando assim, a indenização por danos morais. É comum em nossos tribunais e foros locais este tipo de ação, porém, a novidade é a indenização por danos morais, vez que, na grande maioria das vezes a mulher é sempre expulsa e despejada do convívio do lar de seu companheiro, tendo que suportar além dos problemas financeiros, buscar guarida em casa de parentes ou conhecidos, situação que sempre ocasiona abalo moral, como neste caso, em que foi submetida a humilhação e passou por situação vexatória, perante vizinhos e parentes. É de se aletar que nem sempre existirá o dano moral pela ruptura conjugal entre Conviventes, deverá ser caracterizado, além da culpa, o nexo causal, para que haja o pedido. Espero ter respondido e preenchido suas dúvidas.

..que o Dr. Renato Tiusso dispõe, para que seja...

Paulo Peres Quintas Junior (Estudante de Direito)

..que o Dr. Renato Tiusso dispõe, para que seja feita a justiça sobre a ação expelida.

"União Estavel", "vida conjugal aparentemente s...

Paulo Peres Quintas Junior (Estudante de Direito)

"União Estavel", "vida conjugal aparentemente saudavel perante a sociedade"... separação repentina? por motivos inicial injustificaveis? como provar, como dizer o que realmente aconteceu? Será que alguêm que passou um período significativo juntos possa expulsar uma outra pessoa da união, de repente sem ter motivos para o mesmo? trata-se de algum ser desprovido de raciocínio ou mesmo de disturbios mentais? É preciso apurar os fatos com maior clareza, usar a razão. O que mais existe atualmente são mulheres interesseiras que se unem, tornando uma união estavel para tentar se aproveitar dos bens que o parceiro tem. Pode não ser esse o caso, mas é preciso apurar, para que R.C.S não seja acusado a pagar tamanha indenização. Agora se for constatado o caso de assedio qualificado e reconhecido pela vitima e a expulsão da companheira ser realmente sem motivos, ai sim, deve-se usar de toda a força e poder q

Comentar

Comentários encerrados em 30/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.