Consultor Jurídico

Comentários de leitores

6 comentários

Absurda foi a pena imposta por um homicídio cul...

Antonio ()

Absurda foi a pena imposta por um homicídio culposo... aliás, pelo visto o TJ condenou Edmundo por 3 homicídios culposos e 3 lesões corporais culposas em CONCURSO MATERIAL. É caso, à evidência, de aplicação da continuidade delitiva prevista no § único do 71 do CP. E isso para todos os delitos, que preenchem os requisitos objetivos para reconhecimento da continuidade. E nem se fale que não seria caso de continuidade por ser apenas uma a conduta do Edmundo. Não é este o sentido da Lei. Esse clamor público por vingança e sangue é irracional e não deve ser considerado. Colocar na cadeia um acusado por delito culposo é, no mínimo, um disparate... afronta um pretenso Estado democrático de direito. Vcs sabem o q é uma prisão? Não sejam levianos. Crimes de trânsito culposos são melhor prevenidos e reprimidos com a prestação de serviços à comunidade, especialmente com o auxílio do infrator às vítimas de acidentes. É pesado. É angustiante. Difícil voltar a dirigir embriagado após tomar contato com a carnificina q ocorre nas ruas e estradas brasileiras.

1995 - 2004 !!! Ja se passaram 9 anos e aind...

Defensor Federal (Defensor Público Federal)

1995 - 2004 !!! Ja se passaram 9 anos e ainda cabe recurso ??? Absurdo total... Sem comentarios ! Assim nao se faz justiça. E uma das culpas é do próprio judiciario, pois este nao pune os recursos de cunho protelatorio, como foi esse embargo de declaração da defesa! Esta deveria ter sido condenada a pena como já prevista no codigo de processo! Temos q aplica-lo !

Se esse caso ocorresse nos EUA, esse indivíduo ...

Wilson Andrade (Advogado Sócio de Escritório)

Se esse caso ocorresse nos EUA, esse indivíduo teria sido condenado no mínimo, à prisão perpétua sem direito à condicional. Mas, como estamos no país do faz-de-conta, onde o Estado não oferece a devida resposta ao ato criminoso - até porque regido por um código penal arcaico datado de 1941 -, somos obrigados a assistir impotentes à aplicação de uma pena inconsistente, totalmente divorciada da realidade dos autos e, pior ainda, permissiva de seu cumprimento em regime semi-aberto, vale dizer, em total liberdade... Triste, muito triste, principalmente para os familiares das vítimas, que só podem concluir que neste país, a Justiça se encontra infinitamente distante daquilo que seria um dever do Estado, desde o momento em que assumiu para si, o monopólio da jurisdição.

Edith -advogada Justiça tardia não pode ser co...

Edith Roitburd (Advogado Associado a Escritório)

Edith -advogada Justiça tardia não pode ser considerada Justiça. Veja-se a diferença no tratamento dado a esse moço , que de há muito já devia ter passado por uma correção na vida, poois seja na vida particular como na pública sempre teve uma péssimo comprotamento. Aliás, sempre acobertado por uma imprensa conivente, nao se insurgindo somente e talvez por ser julgador de futebol, por sinal uma inversão de valores com respeito a esses milonários salários que tudo podem. O comportamento em geral do público é de acobertamento, como se fossem eles deuses, acima do bem e do mal, muitas vezes dando péssimos exemplos aos nossos filhos, porque quanto a eles tudo é permitido. É bom mesmo que esse moço tenha uma penalização nao por vingança, mas seu proprio aprendizado, afinal, s.m.j., agora tem filhos e está na hora sentir o que estão sentindo os pais desses que se foram e que nem mesmo a sua segregação vai traze-los de volta, nem todo dinheiro a que forem indenizados, mas que ao menos sintam o conforto de saber que estão num País que a Justiça pode ser crida.

Sinceramente, acredito que a justiça não falhou...

Iclea Queiroz dos Santos (Advogado Autônomo - Administrativa)

Sinceramente, acredito que a justiça não falhou ao manter o entendimento da sentença. Ocorre que em nosso país, é preciso que se dê um basta na impunidade, tanto dos pobres, dos pretos, das prostitutas e dos mauricinhos ou riquinhos, como se acham nossos famosos dos esportes. Não creio que o sentenciado esteja deprimido em face da sentença que lhe foi imputada. Ele deve sim, estar com a consciência da impunidade e por isso, pensa que os seus lamentos serão ouvidos. Justiça nele e em todos que, como ele, se acham acima da Lei. De parabéns o STJ por manter o seu decisum. Espero que se houver Recurso, que também não seja conhecido. Icléa Queiroz Recife - Pernambuco

JÁ NÃO BASTA? Só um tolo faria vistas grossa...

Edu Funicelli ()

JÁ NÃO BASTA? Só um tolo faria vistas grossas às evidências dos estragos provocados, tanto em terceiros quanto em si mesmo, pelo comportamento social inadequado deste formidável atleta, quando ainda bastante jovem. Estragos estes que minaram uma carreira brilhantemente promissora... Triste isso! A que se saiba, o homem adulto Edmundo fora dos refletos da sensacionalista imprensa "esportiva" tem se comportado há já bastante tempo como uma pessoa, digamos, "ajustada". Que a insuportável lentidão da nossa justiça ainda o importune, sem fazer de vez e a tempo o seu papel, eventualmente o condenando definitivamente a, desta ou daquela maneira outra, arcar com os destrambelhamentos da juventude e pronto, dá para se entender, não agüentar... Mas, convenhamos, fica flagrante que tal incompetência do poder judiciário age, digamos, como que "criminosamente" contra o réu, pois que o constante estado de ansiedade a este imposto nestes anos todos, por si só já é, ao meu ver, uma penalização selvagem bem antes de toda a "papelada" ir para o arquivo.

Comentar

Comentários encerrados em 23/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.