Consultor Jurídico

Comentários de leitores

4 comentários

Acho que o pessoal não anda lendo os textos até...

Dacira Calixto Campos (Escrivão)

Acho que o pessoal não anda lendo os textos até ao final. Ao que me consta os dias parados serão compensados, o que é justo, pois a greve é um instrumento legal.

Que beleza....70 dias de férias.... e ainda rec...

Roland Freisler (Advogado Autônomo)

Que beleza....70 dias de férias.... e ainda reclamam. Só um idiota não acreditaria que essa greve não acabaria assim, ou seja, sem um dia descontado e as reivindicações atendidas. Governo frouxo.

É sempre assim. Até hoje nunca foi descontado c...

Roland Freisler (Advogado Autônomo)

É sempre assim. Até hoje nunca foi descontado coisa alguma de grevistas. Pintam e bordam e sempre acabam levando a melhor; além das reivindicações atendidas, ganham as "férias" (=dias parados) remuneradas. Nós é que pagamos a conta. É o eterno paternalismo.

Datíssima venia, sem entrar no mérito da legali...

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Datíssima venia, sem entrar no mérito da legalidade ou da ilegalidade da greve, não é possível ao ministro ou a qualquer outra autoridade que não seja a judiciária dizer que "vai descontar ou não vai descontar" os dias parados de qualquer servidor público. Isso é cortesia com o chapéu alheio. Trata-se de dinheiro público e ninguém pode dizer que paga ou não paga alguma coisa dessa forma. Além disso, o STJ já havia concedido suspensão de segurança autorizando a União a descontar os dias parados (que a própria União havia pedido). Então o ministro Bastos, se assumiu o compromisso de não descontar, terá que fazê-lo com dinheiro do seu bolso. Salvo melhor juízo, a regra é essa.

Comentar

Comentários encerrados em 15/06/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.