Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Autoria certa

Pitboy que tentou matar promotor de eventos irá a júri popular

O juiz Luiz Noronha Dantas, do 2º Tribunal do Júri do Rio, pronunciou o estudante universitário Fábio Araújo Lustosa Primo, de 23 anos, acusado da tentativa de homicídio do promotor de eventos Flávio Cremona. O crime ocorreu na madrugada do dia 9 de maio deste ano, no interior da Boate Dito e Feito, no Centro do Rio. O estudante irá a júri popular porque segundo o juiz, “a autoria do réu encontra-se suficientemente indiciada, quer pela própria admissão por este de tal aspecto, quer pela unanimidade da prova testemunhal obtida”.

Lustosa Primo vai aguardar o julgamento em liberdade, já que na sentença de pronúncia o juiz revogou a prisão preventiva. O acusado está preso desde o dia 24 de maio, quando se entregou no Plantão Judiciário do Tribunal de Justiça, depois de ter tido a prisão decretada. O juiz afirmou que Fábio é réu primário, não tem antecedentes criminais, tem domicílio certo, possui emprego, é estudante universitário e se apresentou espontaneamente e de imediato quando teve decretada a sua prisão. Ele disse também que estão ausentes as ameaças para as testemunhas e para a vítima.

O juiz Luiz Noronha considerou em sua decisão provas como a confissão do réu, o depoimento das testemunhas que presenciaram o crime e os relatórios médicos e diagnósticos radiológicos da vítima. O estudante atingiu Cremona com uma cabeçada, socos e pontapés. O promotor de eventos caiu desacordado e Lustosa Primo, que é praticante de luta livre, continuou dando chutes e pisadas na cabeça da vítima. O crime teria ocorrido porque o promotor de eventos conversava com a ex-namorada do estudante.

“Só foi contido na ação agressiva então desenvolvida depois de ter sido retirado de cima da vítima, sobre quem estava montado e até então prosseguindo no seu atuar”, disse o juiz

Revista Consultor Jurídico, 25 de julho de 2004, 20h32

Comentários de leitores

3 comentários

Parabens ao Juiz Noronha, e que agora esse mar...

Joseph ()

Parabens ao Juiz Noronha, e que agora esse marginal va bater em um colega de cela, ai sim eh que verdadeiramente ele vai mostrar a valentia. faz isso la dentro da cela, vagabunda! Voce vai receber o que merece!

Finalmente. Quem sabe desta vez alguém seja pun...

Eduardo Kulaif (Estudante de Direito - Civil)

Finalmente. Quem sabe desta vez alguém seja punido. Que seja feita justiça, e que este indivíduo seja condenado e dessa forma sirva de exemplo para esses grupos de "jovens niversitários" que crescentemente propagam a violência nas capitais, especialmente no Rio de Janeiro. Parabéns ao juiz Luiz Noronha Dantas, do 2º Tribunal do Júri do Rio por esta decisão. Vamos ver se este indivíduo irá agora dar "tchauzinhos" e mandar "beijinhos" como fizeram debochadamente outros envolvidos em tais violências.

Parabéns juiz Luiz Noronha! Desta forma a socie...

Marcus Castro ()

Parabéns juiz Luiz Noronha! Desta forma a sociedade pode mostrar a esses covardes que eles não vão utilizar cidadãos de bem como saco de pancada. Esses caras que se fazem de fortões, falam grosso, batem em mulher e normalmente explodem com facilidade (talvez pela falta de mulher), estão se tornando cada vez mais numerosos. Este tipo de decisão mostra que eles não vão implantar o medo na sociedade e não vão ficar impunes quando agredirem o direito de terceiros. Espero que nos outros casos em tramitação as decisões sejam semelhantes.

Comentários encerrados em 02/08/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.