Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Cartão vermelho

Grêmio é condenado a indenizar torcedor agredido e roubado

O Grêmio Futebol Portoalegrense foi condenado a pagar indenização por danos morais e materiais ao torcedor Luiz Eduardo Marques Martins. O torcedor foi vítima de agressão e roubo. A violência foi praticada por uma torcida organizada.

A decisão é do Juizado Especial Cível de São Lourenço do Sul em sentença homologada pelo juiz Diego Leonardo Di Marco Pineiro.

O torcedor -- representado pelos advogados Ricardo Ferreira Martins e Jorge Luis Gomes Alves -- alegou que foi agredido e roubado dentro do Estádio Olímpico durante o jogo Grêmio x Olimpia, em maio de 2003.

A sentença foi embasada no Código Civil e no Código de Defesa do Consumidor, já que o Estatuto do Torcedor ainda não estava em vigência.

O Grêmio foi condenado ao pagamento de indenização por danos morais e materiais referente aos prejuízos e o constrangimento da vítima no valor de R$ 2.400,00. (Espaço Vital)

Processo nº 067/3.03.0000923-1

Revista Consultor Jurídico, 30 de janeiro de 2004, 17h42

Comentários de leitores

3 comentários

O estudante mostra que ainda tem muito o que ap...

Luiz Henrique Martins Ribeiro ()

O estudante mostra que ainda tem muito o que aprender. Além do mais nunca deve ter entrado em um estádio de futebol, visto que em Brasília o esporte é muito fraco. Entretanto, já deve ter jogado em cassinos, bingos e afins. Concordo com o colega, deve ser filho de político, E DOS BONS!

Infelizmente, o Sr. Paulo Gomes Freitas (Estuda...

Cristovam Pontes de Moura (Procurador do Estado)

Infelizmente, o Sr. Paulo Gomes Freitas (Estudante — Lago Sul, DF) deixou bem claro o que pensa parte da nossa sociedade,e pior, dos estudantes de Direito. Segundo ele, a lei (no caso, o Estatuto do Torcedor) só serve aos que não são "pobres" e, com a sua aplicação, passaria a beneficiar gente como ele, ou seja, "qualquer um". Deve ser filho de algum "político" (e as aspas não são por acaso).

Não entendi esse preconceito do estudante (espe...

Luís Eduardo (Advogado Autônomo)

Não entendi esse preconceito do estudante (espero que não seja de direito) Paulo Gomes, dizendo que "ir ao estádio de futebol era coisa de pobre". Será que ele quis dizer que só os pobres são os que cometem violência? Que preconceito mais hediondo! Me parece que ai no DF é que alguns garotos não pobres, de classe mais abastada é que andaram cometendo umas barbáries contra alguns seres humanos, tais como queimar um índio (será que índio é ser humano para essas pessoas?), atropelar pessoas na periferia e fugir, etc, etc... Estudante Paulo Gomes, ignorância, violência, preconceito e mediocridade não são exclusividade de nenhuma classe social. Caro estudante, se conselho fosse bom seria vendido, não dado, mas ai vai um conselho grátis: complemente seus estudos, independente da área escolhida para sua graduação, com livros de sociologia e políticas sociais e entenda que a pobreza não é livre opção da pessoa, mas o resultado do meio em que vive, especialmente quando esse "meio" é gerido por uma elite cega, surda, muda e gananciosa. Bons estudos.

Comentários encerrados em 07/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.