Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Denúncia aceita

Denúncia contra fazendeiros acusados de trabalho escravo é aceita

A Justiça acolheu denúncia-crime do Ministério Público Federal contra dois fazendeiros acusados de explorar trabalho escravo no Rio de Janeiro. O Ministério Público do Trabalho, no ano passado, constatou diversas irregularidades trabalhistas em duas empresas do setor agroindustrial de Cabo Frio (RJ).

Cerca de 160 cortadores de cana foram aliciados para trabalhar nas duas empresas, segundo o MPT. As condições dos alojamentos eram péssimas, a maioria ganhava menos que um salário mínimo e a alimentação precária era descontada no salário, de acordo com a denúncia.

Cinco pessoas responderão pelo crime: o dono das empresas, Demétrio Fontes Tourinho, os aliciadores dos trabalhadores, Adilson de Barbosa de Jesus e Manoel Messias, o técnico em agropecuária Ramilton Pereira da Silva e Mário Rubens Viana. (Ministério Público do Trabalho)

Revista Consultor Jurídico, 28 de janeiro de 2004, 19h04

Comentários de leitores

2 comentários

Posso parecer uma pessoa bem insensível, mas ex...

Thomaz Silva (Estudante de Direito)

Posso parecer uma pessoa bem insensível, mas excluindo todo o lado romântico da história destes trabalhadores, creio que ao menos que estas pessoas não tivessem como "sair" deste trabalho ou seja, a menos que elas fossem forçadas a ficar (não por seus motivos próprios é claro, mas sim por força de seus patrões) elas não tem o por que de reclamar. A escolha do trabalho foi delas, elas teriam como questionar outros trabalhadores sobre o tratamento dado e etc... Não tenham dúvida sobre o meu conhecimento do sofrimento, da falta de oportunidade, da ignorância forense das mesmas e de todos estes fatos, mas a escolha foi delas. Deixo claro que sou totalmente contra esta forma de exploração de trabalhadores, mas a impotência dos mesmos também me irrita.

E o "nobre deputado federal", inocencio de oliv...

Antonio Fernandes Neto (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

E o "nobre deputado federal", inocencio de oliveira? Não foi ele acusado de escravizar seus empregados? Não foi ele "autuado" pela fiscalização do trabalho, em virtude de escravizar seus empregados? Não vai ser denunciado? Continuará ele, TODO CARA DE PAU, presidindo sessões da Câmara Federal e aparecendo, todo sorridente na mídia, passando incólume pelos "percalços" que lhe são postos pelos seus inimigos "fiscais do trabalho escravo"? E no que deu aquela acusação de ter se apropriado, indevidamente, de dinheiro público para abrir poços de água em sua(ou nas suas?) fazenda(s)? Onde estão o MPF e o MPT? Quais as providências que tomaram?

Comentários encerrados em 05/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.