Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pedido rejeitado

Acusado de mandar matar amante de mulher não consegue liberdade

Um morador de Pompeu (MG), acusado de ser o mandante do assassinato do amante de sua mulher, não conseguiu liminar em habeas corpus no Superior Tribunal de Justiça. A decisão foi do ministro Nilson Naves, presidente do STJ.

Este é o segundo habeas corpus impetrado no STJ para colocar o acusado em liberdade. No primeiro, o ministro Gilson Dipp, indeferiu a liminar, pediu informações ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais sobre as alegações de coação e deu vistas ao Ministério Público Federal. Nesse segundo pedido, o acusado afirmou que estaria sofrendo constrangimento ilegal, por não se verificarem os requisitos necessários para que continue preso.

Segundo a Polícia, o acusado e um primo do executor dos disparos tiveram envolvimento com o crime. Essas informações levaram o juiz a decretar prisão preventiva.

Para Naves, o deferimento da liminar significaria a desconstituição da primeira decisão.(STJ)

HC 32.999

Revista Consultor Jurídico, 26 de janeiro de 2004, 10h41

Comentários de leitores

1 comentário

Muitos homens ainda não aprenderam de que mulhe...

Eduardo Câmara ()

Muitos homens ainda não aprenderam de que mulher infiel se separa e arranja-se outra muito melhor. Mata o amante dela e depois esta, por vingança, vai visitar essa "anta" de homem na cadeia, acompanhada do novo amante. Mas como ainda existem pessoas ignorantes!!!

Comentários encerrados em 03/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.