Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Mistura fina

Advogado de Beira-Mar é preso com US$ 320 mil em Nova Iguaçu

A Polícia Federal de Nova Iguaçu, no Rio de Janeiro, prendeu na noite desta sexta-feira (16) o advogado do traficante Luiz Fernando da Costa, o Fernandinho Beira-Mar, com US$ 320 mil (equivalente a cerca de R$ 1 milhão) em espécie, segundo noticia a Folha Online.

Beira-Mar está preso desde maio no presídio de Presidente Bernardes (a 589 km de São Paulo), considerado um dos mais seguros do país.

De acordo com a PF, Paulo Roberto Cuzzuol e sua mulher Cecília Hering Rodrigues foram detidos na rodovia Presidente Dutra, na altura da cidade de Volta Redonda, no Estado do Rio de Janeiro.

A polícia informou que o casal estava com o dinheiro escondido pelo corpo. Além dos dólares, a polícia também apreendeu com a dupla R$ 7.526, seis telefones celulares, dois passaportes brasileiros, documento da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil) de Cuzzuol, agenda com anotações da contabilidade do tráfico de drogas, cartas de Beira-Mar endereçadas ao advogado e inúmeros processos de membros da quadrilha.

Segundo a PF, Cuzzuol confessou que o dinheiro foi entregue a ele em seu próprio escritório e que deveria seguir para o Paraguai para pagamento de drogas, armas e munições.

O advogado já vinha sendo investigado pela PF por possíveis relações com o tráfico de drogas. Na sexta-feira (16), a polícia acompanhou todas as movimentações do advogado até a prisão dele, que aconteceu em uma barreira montada no posto da Polícia Rodoviária Federal de Volta Redonda.

Cuzzuol e a sua mulher foram indiciados por lavagem de dinheiro e poderão, se condenados, pegar de sete a 23 anos de prisão.

Revista Consultor Jurídico, 18 de janeiro de 2004, 0h38

Comentários de leitores

2 comentários

Com certeza esse tipo de profissional deve ser ...

Mário Matsamura Ramos ()

Com certeza esse tipo de profissional deve ser excluído da classe,mas na realidade estou escrevendo para reforçar a opinião do colega Cícero José da Silva estou de pleno acordo com ele pois se perante nossa constituição somos todos iguais qual seria a diferença do advogado para o juíz se alguém enxergar essa diferença me avise pois para mim a diferança entre os profissionais honestos e os que apenas sujam a categoria.

Em primeiro lugar, a prisão deste advogado deve...

Cícero José da Silva ()

Em primeiro lugar, a prisão deste advogado deve ser acompanhada pela Ordem dos Advogados do Brasil, no sentido de que em sendo comprovadas as acusações, e após o devido processo disciplinar, com a garantia da mais ampla defesa, o mesmo venha a ser imediatamente excluído dos quadros da nobre classe. Entretanto, esta mais do que na hora da Polícia Federal, procurar agir com o mesmo rigor com todos os presos, pois para o advogado, foi reservado o uso de algemas na frente das câmaras, mas infelizmente para o Juiz João Carlos da Rocha Matos, quando da sua prisão, foi dado o privilégio de ser conduzido tranqüilamente sem algemas e no banco de traz de carro descaracterizado.

Comentários encerrados em 26/01/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.