Consultor Jurídico

Notícias

Ação e reação

Amatra repudia revogação de prisão preventiva de fazendeiro do PA

Comentários de leitores

5 comentários

A questão é penal e não de trabalho. A Justiça ...

Jose Aparecido Pereira ()

A questão é penal e não de trabalho. A Justiça do Trabalho está acostumada a agir de maneira administrativa, e as questões postas para serem dirimidas no ambito penal não pode ser analisada dessa forma. Não é com provimentos que se retira a liberdade de alguém, e sem provimentos a Justiça do Trabalho não funciona. O problema fica mais sério quando membros organizados do próprio judiciário começam a questionar as decisões de seus órgãos, e, no âmbito administrativo acabam por se achar melhor aparelhados para julgar determinadas questões, que nunca julgaram. O que fica claro nesta manifestação é a falta de senso de justiça de nossos magistrados, a vontade de vingança é tanta que não mediram esforços para chamarem para si um julgamento, como se fossem os super heróis de uma estória em quadrinhos contadas nesse Brasil de sofredores. E o povo fica olhando abolhado. De outro lado, mostra também a falta de confiabilidade do Judiciário no País, a ponto de seus próprios membros passarem a exercer criticas. A lei não é ruim, o que se tem visto neste pais são interpretações equivocadas. Agora, se não existe prova contra o acusado, seria no mínimo uma insensatez enorme mante-lo preso preventivamente, so porque acham que deveria ser dessa forma. A critica em questão vem demonstrar a falta de preparo dos membros da Amatra, para esse julgamento, e se for esse o espirito que tem norteado os julgamentos proferidos por seus membros tenho pena de nós brasileiros, porque a injustiça é o resultado da vingança.

Caro Caio, a Justiça Estadual é muito superio...

Sandro Hernesto Soares ()

Caro Caio, a Justiça Estadual é muito superior a estas duas competências que vc mencionou, pois nenhuma outra tem tanto contato com todos os aspectos da vida de uma cidadão qto ela. Por isso isto não me assusta nem me levaria a ofender com notas oficiais colegas de outras áreas.

Eu acho que esta nota além do desrepeito ,ou de...

Sandro Hernesto Soares ()

Eu acho que esta nota além do desrepeito ,ou decortesia, com os colegas da Justiça Federal propriamente dita, denota um certo desespero da Justiça do trabalho em criar competências novas para continuar existindo.

Dr. Paulo, não generalize a situação. Consulte ...

Carlos Zahlouth Júnior ()

Dr. Paulo, não generalize a situação. Consulte o site da Justiça Federal Comum e poderá verificar a longa tramitação dos feitos naquele órgão. O TRT 8 está aparelhado para enfrentar mais esse desafio, pois aqui os processos são julgados em menos de 30 dias na primeira instância e menos de 90 dias no segundo grau, nos casos de procedimento ordinário e no sumaríssimo a média é de 30 dias.

A nota é um exemplo de oportunismo corporativo....

Paulo ()

A nota é um exemplo de oportunismo corporativo. A Justiça do Trabalho não consegue fazer um processo terminar antes de 15 anos e ainda quer chamar para si a competência criminal. Os exploradores do trabalho escravo vão comemorar muito a prescrição dos seus crimes.

Comentar

Comentários encerrados em 14/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.