Consultor Jurídico

Comentários de leitores

5 comentários

Senhores, só o Ministério Público para acredita...

Jose Cicero de Carvalho Brito (Praça do Exército)

Senhores, só o Ministério Público para acreditar nessa tal de Super Zé, chega ser ridículo...no entanto o MP deveria, como se intitula prestador de serviço ao povo brasileiro, entrar com ações para que o governo, por exempo, garanta saúde e escola para todos, reforme as estradas, suspenda os pedágios pois temos o direito de ir e vir..etc, etc, etc, agora eles que sempre foram coleguinhas da militância petista, não todos, claro, alguns, sentem-se ofendidos com a hipotese de controle externo...eita Brasilzim..

Todos os poderes têm que se submeter ao crivo d...

Evair Sampaio ()

Todos os poderes têm que se submeter ao crivo da população por meio do voto. Porque o MP e a Magistratura querem ser diferentes? Eleição para MP e Magistratura.

Trago à baila importante comentário feito por M...

César127 (Promotor de Justiça de 1ª. Instância)

Trago à baila importante comentário feito por Mario Alves Medeiros, publicado no painel do leitor(Jornal Folha de S. Paulo) em 31/01/04: Ministério Público "Tenho 27 anos. Não vivi, portanto, a efervescência dos anos 60/70. Não ouvi Bob Dylan, Joan Baez ou John Lennon. Não partilhei os sonhos daquela época: a contracultura, a revolução sexual ou o pacifismo. Criada na década perdida, minha geração cresceu assistindo ao cortejo fúnebre das utopias. Mas eis que, a reboque da Constituição de 1988, vimos o nascimento de uma nova esperança: a imposição de valores éticos, da honestidade e da retidão na condução da administração pública. E quem velaria por tudo isso seria uma instituição redesenhada pela Constituição: o Ministério Público! Assim, não por acaso, o Ministério Público foi tomado por jovens. Mas eis que, de onde menos se esperava, vem o golpe presto e certeiro. Do partido que se dizia depositário dos sonhos da geração anterior vem a tentativa de enfraquecer os jovens sonhadores do MP. Parece que mais um sonho vai se acabando." Mário Alves Medeiros (Vitória da Conquista, BA)

Bom dia. Com certeza caso minha idéia fosse...

caiubi (Outros)

Bom dia. Com certeza caso minha idéia fosse para o papel a resposta seria: o controle externo do LEGISLATIVO E EXECUTIVO é feito pelo VOTO LIVRE, PELO POVO, renovado periodicamente, é a democracia, ainda que a mídia deixe muito a desejar, com possibilidade de estarem sujeito a alguma ação na justiça, cada povo tem o governo que escolhe, e quem não gosta de política engole quem gosta. Em tempo, é uma vergonha a imunidade parlamentar da forma como está, tá na hora de aproveitar o embalo e mudar também.

Não há porquê temer controle externo quando não...

JA Advogado (Advogado Autônomo)

Não há porquê temer controle externo quando não se tem nada a esconder. No caso do MP e do Judiciário, logicamente que esse controle não pode interferir nas suas funções institucionais. Ninguém pode dizer ao juiz como ele deve julgar e nem ao MP como e quando ele deve agir. Creio que seria uma insanidade querer esse tipo de controle. Mas saber como estão trabalhando e como está sendo gasto o dinheiro público - e o que pode ser feito para melhorar o seu funcionamento - creio que isso seria uma evolução. Fui presidente da Comissão de Licitações do meu município por duas vezes (no último ano licitamos compras no valor aproximado de R$ 80 milhões) e jamais senti qualquer constrangimento em mostrar absolutamente TUDO o que fazíamos nos processos a qualquer cidadão que demonstrasse interesse em sabê-lo. A função pública - qualquer que seja ela - rege-se (também) pelo princípio da publicidade (art. 37 da Constituição Federal). E eventual controle externo haveria de ter apenas essa finalidade: a de dar conhecimento à sociedade como trabalham o MP e o Judiciário, do ponto de vista estritamente administrativo e funcional. Negar esse controle é dar razão ao Lula de que há realmente alguma caixa-preta por aí.

Comentar

Comentários encerrados em 10/02/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.