Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Ensaio sensual

VIP com fotos de Cicarelli continua nas bancas, decide Justiça.

Por 

A namorada do jogador Ronaldo e apresentadora da MTV, Daniela Cicarelli, perdeu um gol na Justiça esta semana. Ela não conseguiu retirar das bancas a revista VIP do mês de outubro em que aparece em fotos sensuais. A 10ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo, por unanimidade, acatou Agravo de Instrumento ajuizado pela Editora Abril. O relator do caso foi o desembargador Ivan Marques. Ainda cabe recurso.

Cicarelli entrou na Justiça alegando que se sentiu constrangida com a republicação do ensaio fotográfico feito em 2001. A VIP publicou na reportagem de capa foto da apresentadora com o título “Despedida de solteira! Daniela Cicarelli sem aliança! Sem vestido de noiva! Com tudo!".

A primeira instância entendeu que a apresentadora se sentiu constrangida com as imagens por sua condição atual de noiva e determinou a retirada das revistas da banca. O entendimento, no entanto, foi revertido no TJ paulista.

A Editora Abril foi representada pela advogada Vera Leitão, do escritório Lourival J. Santos Advogados. A advogada argumentou que não há cláusula no contrato que proíba a republicação das fotos na revista.

 é editora da revista Consultor Jurídico e colunista da revista Exame PME.

Revista Consultor Jurídico, 22 de dezembro de 2004, 12h19

Comentários de leitores

13 comentários

Abílio Neto (Outra - — Recife, PE), "eta cabr...

CPS-Celso (Advogado Associado a Escritório - Trabalhista)

Abílio Neto (Outra - — Recife, PE), "eta cabra bão", tirou os comentários da "mesmisse".

Cicarelli gera novo diálogo em Cabrobó Com o c...

Abílio Neto (Outros)

Cicarelli gera novo diálogo em Cabrobó Com o calor que está fazendo no sertão pernambucano do São Francisco e as muriçocas comendo os pobres cristãos de Cabrobó (aqueles que não podem comprar um ventilador), Zé Preá e Mané Socó não puderam dormir e foram tomar cachaça na barraca de Dona Judite. O assunto Cicarelli não poderia fugir da discussão e obviamente gerou um novo diálogo, em sextilhas: - Mas Mané, a Cicarelli Surpreendeu o mercado: Mandô prendê uns retrato Que na VIP foi publicado Onde mostrava a calcinha E os seus peitão inchado -Mas proque si arrependeu? -Diz ser noiva do Ronaldo Que só ele pode ver O que já tinha mostrado Que a sua foto na banca Cria desejo em tarado -Essas muié quando pôsa Dêxa a veigonha de lado E ganham muito dinheiro Às custas dos abestado Dispois elas se arrepende E vão atrás do Juizado -Aconteceu com a Xuxa E com Mara Maravilha Mas isto faz muito tempo A Xuxa tem até filha E a Mara virô crente De Jesus seguindo a trilha -Mas o Juiz que julgou Eita cabra bom danado O homi disse uma frase Que só diz cabra letrado E também não deu razão Pra noivinha do Ronaldo -Então, por favô me explica Tu sabe, sô meio jumento -“Cicarelli num é freira Nas andança de um convento” Oh Mané, vai comprar logo Pra espiar o monumento. Abílio Neto

Quando a publicação das fotos acho que não teri...

Ivi Andréia Porto dos Santos (Estudante de Direito - Civil)

Quando a publicação das fotos acho que não teria como evitar haja vista que a modelo não assinou nenhum contrato onde contasse a clausula de não republicação das fotos, mas vejo pelo lado da modelo, que fica constrangedor, por explorarem a imagem dela justo agora, quando ela vai se casar, a midia tem infelismente, este custume usar dos momentos felizes das pessoas e tentar fazer vender suas revistas, o ridiculo é causar tanto transtorno em vista de uma pessoa que acima de tudo é humana, não só uma imagem, poderiam ter consultado a moça renegociado, não sei mas ao menos ser mais éticos, Dou apoio a moça não por ser mulher, mas por acreditar que mesmo no direito as coisas podem ser pesadas e analisadas antes de agirmos. Para isto existe a justiça para mostrar ao povo que temos juizes e desembargadores sabedores dos problemas que envolve a vida social dos cidadões, julgando de forma consciente e a luz da lei, e dos conflitos, em cada caso.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.