Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Reta final

OAB do Piauí aprova 38% dos inscritos no Exame de Ordem

A OAB do Piauí aprovou, no seu segundo Exame de Ordem de 2004, 119 bacharéis em Direito -- 38%. No total, 318 candidatos se inscreveram para as provas que foram feitas nos dias 28 de agosto (objetiva) e 17 de outubro (prático-profissional). Com o resultado, já computado os recursos julgados, mais da metade dos bacharéis em direito do estado não estão aptos a exercer a advocacia.

O índice final de aprovação foi considerado razoável pelo presidente da Comissão de Estágio e Exame da OAB-PI, Celso Barros Coelho Neto, se comparado aos resultados do mesmo exame em todo o Brasil. Nos estados do nordeste, onde os exames são feitos de forma regionalizada, o resultado do Piauí superou o de alguns estados até agora.

Em Pernambuco, por exemplo, 28% do total de 590 candidatos obtiveram aprovação no segundo exame; em Alagoas, 26,2% (do total de 225 inscritos) conseguiram êxito no mesmo teste. O resultado do Piauí não superou o da OAB da Bahia, onde 42% dos bacharéis que fizeram as provas receberão a carteira de advogado.

No Piauí, a instituição de ensino que proporcionalmente mais aprovou alunos no Exame de Ordem foi a Universidade Federal do estado. Ela aprovou 25 dos 43 candidatos inscritos, o equivalente a 62,5%. Em seguida, aparecem no ranking de maior número de alunos aprovados o Centro de Ensino Unificado de Teresina, com 54,5% de aprovação; a Universidade Estadual do Piauí, com 30,5% de aprovação; e a Universidade São Gabriel, com 16,6% de aprovação.

O resultado do segundo Exame de Ordem feito pela OAB-PI apresentou número final de aprovados menor que o primeiro exame do ano, em abril de 2004. No primeiro exame, 188 bacharéis, no total, conseguiram aprovação. A Seccional Piauiense da OAB faz três Exames de Ordem por ano, sempre nos meses de abril, agosto e dezembro. As datas são fixadas em edital e publicadas no Diário da Justiça.

Revista Consultor Jurídico, 20 de dezembro de 2004, 12h15

Comentários de leitores

4 comentários

EXAME DA OAB SEJA MAIS UM APROVADO ...

Carlos (Advogado Sócio de Escritório)

EXAME DA OAB SEJA MAIS UM APROVADO O Exame da OAB está cada vez mais difícil. Na verdade, não só o exame, como os concursos públicos também. Quem não se preparar para valer não consegue a aprovação. Parece que agora o CESPE irá elaborar os Exames da OAB. Isso faz com que as provas fiquem ainda mais difíceis. Não adianta ficar reclamando, dizendo que está difícil o Exame ou querendo desistir. Esse não é o caminho. Só não passa quem desiste. Se outros passaram, você é capaz também, mesmo que demore um pouco mais. É necessário estudar muito e ter um bom material para os seus estudos, e isso nós temos. CD-ROM com milhares de questões resolvidas de diversos Exames da OAB, 1ª, 2ª fase e peças processuais. Dicas, macetes e muito mais!!! Contate-nos para maiores informações: Carlos Rodrigues Tel.: (11) 8139.4074 – 3863.9780 e.mail: berodriguess@ig.com.br

Senhores, A cada dia, torna-se espantoso, o ...

Antonio de Padua Pitombeira Osorio (Advogado Assalariado - Criminal)

Senhores, A cada dia, torna-se espantoso, o julgamento que se faz sobre os novos profissionais do direito. No afã da disputa do "primeiro" (sic) lugar nos exames da Ordem, custa-se acreditar que iremos trocar um diploma conseguido à sangue e fogo (sacrifício), por um mero lugar e destaque na imprensa por ser aluno tal, de tal faculade. Um recado aos menos tenebrosos: não temais quaisquer indiferença. O direito não está numa simples prova de curto tempo e pouco conteúdo. Mas sim, naquilo que estudamos no decorrer dos cinco anos... É mérito, sairmos da faculdade e não sabermos se quer elaborarmos uma peça?. Pois bem, isto não passa de concorrência entre uma atividade comercial. Não estou(amos) a fim de colocação em grau de aprovação de exame. O que devemos fazer é saber interpretar o direito à frente do Estado na sua soberania jurisdicional. Lá, não estará presente qualquer exame de ordem. Sejamos profissionais. Vamos em frente. O direito é como uma "linda e bela" noiva no altar, diante de um noivo feio, sombrio e esquisito. Basta a sabedoria para que o noivo a conquiste para sempre e tenha o domínio da sua inteligência. Para mim (nós), isso é pura balela a divulgação de índices de aprovação em exame de qualquer ordem. Por exemplo: os grandes advogado deste país, dentre eles, existiram àqueles chamados "rábulas", ou seja, nunca se formaram em uma faculdade, apenas na adversidade. Portanto, não tem sentido nós profissionais decepcionarmos-nos com o índice. É pura boubagem.... até breve....

Senhores, não é de estranhar o alto índice de r...

Rodrigo Sorato Biasetto ()

Senhores, não é de estranhar o alto índice de reprovação nos exames de ordem???? Sou Bacharel em direito em São Paulo desde de 2.002, no entanto não consigo lograr êxito no exame de ordem desde então, já fiz cursinhos de renome, estudei em casa, e nada de resultado no exame da ordem. Peço que pensem, estudei cinco anos em uma universidade devidamente registrada no MEC e OAB, fui aprovado nas matérias com média acima de 07 (sete), no entanto a média exigida da OAB é de apenas 05 (cinco). Pergunto aos senhores, será que fui enganado pela Faculdade durante os 05 (cinco) anos de curso ou a OAB está exigindo muito dos candidatos?????? Vemos na televisão matérias a respeito, na qual a OAB aponta as Faculdades pelo índice de reprovação, mas não é a OAB que determina as matérias e fiscaliza conjuntamente ao MEC a formação acadêmica???? Não estou manchando a instituição OAB, ou querendo demonstrar que as Faculdades não estão sabendo lecionar as matérias, mas entendo que deva haver um bom senso entre as partes e proporcionar aos bacharéis como eu, uma solução imediata no que tange a inscrição definitiva como advogados ao invés de ficarem trocando farpas e deixar que os índices superem em muitas vezes o índice de 90% de reprovação.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 28/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.