Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Tucano garatuja

Vereador analfabeto é diplomado no interior de São Paulo

Por 

"Por cópia autorizada de diploma ou certificado de conclusão de estabelecimento de ensino reconhecida oficialmente". A frase lida pela juíza Adriana Costa Tastaldi não pôde ser copiada pelo vereador Eronides Pereira Souza, diplomado na manhã desta sexta-feira (10/12) e eleito pelo PSDB no município de Francisco Morato. Motivo: o vereador tucano é analfabeto.

As investigações estão por conta da promotora eleitoral Tatiana Callé, do Ministério Público. Foi ela quem investigou denúncia anônima dando conta que Eronides Pereira de Souza teria apresentado à Justiça Eleitoral documentação falsa atestando que sabia ler e escrever.

"Temos informação de que carimbos do secretário e do diretor da Escola Estadual Professor Doutor Geraldo Campos Moreira foram roubados em 1998", disse a promotora Tatiana Callé. Na quinta-feira (9/12), ao ser interpelado pela Justiça, o vereador eleito não soube sequer rabiscar uma palavra.

"Tivemos de esperar ele ser diplomado para agora entrarmos com recurso no TRE. No curso das investigações, que irão também para uma delegacia, não descartamos pedir a prisão preventiva dele e seu indiciamento. As investigações estão apenas no começo", diz.

 é repórter especial da revista Consultor Jurídico

Revista Consultor Jurídico, 10 de dezembro de 2004, 15h31

Comentários de leitores

30 comentários

Vejamos, Douglas Aguirre: Primeiramente é "c...

JNFirst (Advogado Autônomo)

Vejamos, Douglas Aguirre: Primeiramente é "caro"... Em um segundo momento, a vontade soberana do povo também é traduzida pelo Constituinte Originário... Se me peca a memória... Sem dizer que os institutos de democracia direta poderiam mostrar interesse contrário a inegibilidade constitucional, segundo grande parte da doutrina, se é que realmente existe desinteresse, pois vejo contrariados muito falando e pouco fazendo. Ainda, observando o conceito de "analfabeto" que expôs somente posso dizer que você cai em contradição... Ou segundo este o "eleito" é alfabetizado? Creio que não... Julio Roberto: Inconstitucionalidade de regra expressa na própria Constituição, de forma originário? Por favor... Amorim Tupy: Não concordo com muitas coisas, desde textos legais, interpretações ridículas e totalmente parciais de juízes, tribunais, ect... Quanto a isso concordo com suas ambições. Quanto à alfabetização, não quero ser preconceituoso e dizer que analfabetos não são inteligentes (até mesmo porque inteligência e cultura possuem significados muito diferentes), mas as produções execráveis de textos legais e de atitudes pelo executivo se dão em grande parte da falta de capacidade dos representantes. Temos que ter no mínimo alguns parâmetros para tentar nivelar aqueles que atuam nestes setores, caso contrário estaríamos contratando arquitetos que pouco entendem de números... Pelo que vejo há uma grande problemática neste aspecto. É esta a intenção do legislador... Clara e nítida.

Caros amigos . Novamente estou de volta. Pa...

amorim tupy (Engenheiro)

Caros amigos . Novamente estou de volta. Para os constitucionalistas de plantão : Não vejo nenhuma novidade em rasgar o dito livrinho e nisto nos somos especialistas , já rasgamos sete ou oito? , e o ultimo mais parece um franksteem. Rasgando todas voltamos para a de D. Pedro I que satisfaz plenamente aos que são contra e ao que são favor a diplomação do vereador. Para ser votar e ser votado o súdito devia comprovar uma renda anual de Duzentos mil reis. = 10 sacos de farinha, dai chamado de " LEI ou VOTO da Mandioca. Notamos que esta lei é bem democrática pois exige simplesmente que para votar e ser votado basta se ser uma pessoa produtiva. Pobre de mim que não posso alterar as leis pelas quais eu vivo , se não se obedece a casa cai , tanto faz a do Zé Paraíba la no sertão ou a do DEPUTADO FEDRAL no IPANEMA Um abraço a todos de Amorim Tupy

Caro ou Prezada JNfirst: Dentro do seu vast...

Douglas Aguirre ()

Caro ou Prezada JNfirst: Dentro do seu vasto conhecimento que é notório, o conceito de analfabeto: [Do gr. analphábetos, 'aquele que não conhece nem o alfa nem o beta', pelo lat. analphabetu.] Adj. 1. Que não conhece o alfabeto. 2. Que não sabe ler e escrever: "E que fez Rousseau? Quase analfabeto até aos trinta anos, começa a escrever aos trinta e cinco." (Graça Aranha, A Estética da Vida, p. 194.) 3. Absolutamente ou muito ignorante. 4. Que desconhece determinado assunto ou matéria: É analfabeto em geografia. S. m. 5. Indivíduo analfabeto (1 e 2). 6. Indivíduo ignorante, sem nenhuma instrução. [F. red. (Bras.) (nessas 2 acepç.): analfa.] u Analfabeto de pai e mãe. 1. Indivíduo rigorosamente analfabeto. A vontade popular é soberana sob todos os aspectos e a norma constitucional assim determina. Portanto, está acima de tudo. A diplomação do vereador é inconteste.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 18/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.