Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Casa nova

Agente da PF preso na Operação Anaconda é transferido de presídio

Por 

A Penitenciária Adriano Marrey, em Guarulhos, é o novo endereço do agente da Polícia Federal, César Herman, detido desde o início do ano. Ele é acusado de fazer parte de uma quadrilha de venda de sentenças e foi preso na Operação Anaconda.

A Secretaria de Administração Penitenciária do Estado de São Paulo informa que o agente federal foi transferido para Guarulhos porque a Penitenciária do Estado, onde ele estava, foi desativada.

O julgamento do caso está marcado para os próximos dias 14, 15 e 16 de dezembro no Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3).

A defesa de Herman ataca o Ministério Público dizendo que a “Operação Anaconda” aconteceu irregularmente, uma vez que foi deflagrada a partir de escutas telefônicas ilegais.

Seu advogado, Ivan Santos do Carmo diz temer pela vida do agente federal com a transferência. “Não sei se ele estará vivo até terça-feira (dia do julgamento). Colocaram ele em um presídio com detentos de alta periculosidade. Lá, ele está muito exposto e vai passar todo este final de semana”, disse. Para o advogado, seu cliente deveria ser transferido para a carceragem da Polícia Federal ou para o presídio da Polícia Civil.

Carmo criticou a transferência do agente federal e sugeriu que a mudança de penitenciária teria ocorrido por conta de represálias. “Ontem (9/12) o Jornal da Band trouxe uma reportagem falando sobre a ilegalidade das escutas telefônicas na Operação Anaconda. Hoje, curiosamente, Herman já tinha sido transferido”, comenta.

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria de Administração Penitenciária, Herman foi transferido no último dia 8 de dezembro (quarta-feira), juntamente com todos os demais detentos em razão da desativação da Penitenciária do Estado. A transferência, portanto, foi anterior à reportagem veiculada pela TV Bandeirantes. A secretaria contestou ainda a informação do advogado de que a Penitenciária Adriano Marrey conte apenas com presos de alta periculosidade. Segundo a assessoria de imprensa, o local abriga detentos de todos os tipos.

 é jornalista

Revista Consultor Jurídico, 10 de dezembro de 2004, 20h51

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 18/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.