Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Espera em liberdade

Servidor acusado de concussão aguardará julgamento em liberdade

O servidor José Ribeiro da Silva, que responde a processo pela prática de três crimes de concussão – quando funcionário público exige vantagem indevida – poderá aguardar seu julgamento em liberdade. A decisão é da Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal que aceitou o pedido de Habeas Corpus do servidor.

Ribeiro da Silva foi condenado, em primeiro grau, a 15 anos de reclusão mais multa e perda da função pública por exigir pagamento para não autuar empresários. O crime de concussão é previsto no artigo 316 do Código Penal.

Segundo o relator Sepúlveda Pertence, não há como falar em conveniência da instrução criminal se esta já terminou, nem invocar a garantia da ordem pública para não comprometer a imagem do Poder Judiciário.

"Já repisei minha convicção acerca da ilegitimidade constitucional da prisão preventiva fundada na necessidade de satisfazer a ânsias populares de repressão imediata em nome da credibilidade das instituições públicas, dentre elas o Poder Judiciário", afirmou.

Para Pertence, tais considerações "desvelam o abuso da prisão processual para fins não cautelares, seja o de antecipação da pena, que aborrece a presunção da não culpabilidade, seja a instrumentalização do encarceramento do acusado para a popularização do Judiciário, que repugna o princípio fundamental da dignidade humana".

Por fim, o ministro sustentou não ser motivo idôneo para a prisão preventiva a invocação da gravidade do crime ou o prestígio e a credibilidade do Judiciário. O voto do ministro-relator foi acompanhado pelos demais integrantes da Primeira Turma.

HC 84.778

Revista Consultor Jurídico, 7 de dezembro de 2004, 20h29

Comentários de leitores

1 comentário

E este mesmo tribunal denegou o HC do menino qu...

Gilwer João Epprecht (Advogado Sócio de Escritório - Criminal)

E este mesmo tribunal denegou o HC do menino que furtou uma bicicleta avaliada em R$ 60,00. Pode?

Comentários encerrados em 15/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.