Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Pauta nos TRTs

Jobim discute administração da Justiça com representantes dos TRTs

No ano que vem talvez já seja possível fazer uma projeção global do sistema de indicadores e definir linhas estratégicas para os próximos cinco anos de administração do sistema Judiciário brasileiro. A previsão é do presidente do Supremo Tribunal Federal, Nelson Jobim.

Ele esteve reunido, durante a tarde desta segunda-feira (6/12), com representantes dos 24 Tribunais Regionais do Trabalho para dar continuidade ao projeto de fazer um levantamento de indicadores da Justiça brasileira para avaliar a capacidade de gestão do sistema.

"Aí [com os indicadores e linhas definidas] nós deixamos de ser administradores temporários e circunstanciais para termos gestões planejadas na busca daquilo que nos legitimará: a eficiência", disse Jobim.

Para Jobim, o objetivo central da reunião foi "traduzir os indicadores para as peculiaridades da Justiça do Trabalho". Discussão semelhante foi feita com representantes da Justiça Federal e Estadual. "Vamos ver o que temos que fazer e, para saber o que temos que fazer, precisamos nos conhecer; e para nos conhecer nós precisamos ter elementos que definam, no âmbito da nossa análise, a nossa capacidade de oferta de decisões", afirmou.

Revista Consultor Jurídico, 6 de dezembro de 2004, 20h27

Comentários de leitores

1 comentário

Esse DR. Nelson Jobim...ô gaúcho retado! Mas, m...

Luís da Velosa (Advogado Autônomo)

Esse DR. Nelson Jobim...ô gaúcho retado! Mas, mestre, ao invés de eficiência é melhor a eficácia. Quer dizer, ele mesmo diz quye são "administradores temporários e circunstanciais". E mais: "..na busca daquilo que nos legitimará". Imaginem! Depois, arrematando, ele diz: "Vamos ver o que temos que fazer e, para saber o que temos que fazer, precisamos nos conhecer; e para nos conhecer nós precisamos ter elementos que definam, no âmbito da nossa análise (vejam: "no âmbito da nossa análise"), a nossa capacidade de oferta de decisões". É por essas e outras que o poeta Luís Borges, afirmava e vaticinava: "Escrever é uma certa forma de imprudência". Falar, também, caro poeta, principalmente em microfones e na presença de taquígrafas(os). Essa última foi para o Além.

Comentários encerrados em 14/12/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.