Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Primeira Leitura

Cristovam Buarque pede desculpas ‘aos pobres e à oposição’

Vexame governista – 1

O senador Cristovam Buarque (DF), mesmo sendo um petista histórico, pediu desculpas ontem, em discurso no plenário, “aos pobres e à oposição” por ter defendido o salário mínimo de R$ 260 definido pelo Planalto, rejeitando o acréscimo de R$ 15, proposto pelo PFL e aprovado na Casa.

Vexame governista – 2

Cristovam disse ter acreditado que o governo cumpriria o acordo de compensar aquele valor, considerado baixo, com um conjunto de 12 medidas que dariam um “choque social” no país. No dia 12 de agosto, no entanto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vetou todas as medidas.

Vexame governista – 3

A crítica do senador Cristovam ao governo que ajudou a eleger e do qual já foi ministro foi, em alguns momentos, demolidora. Por exemplo, quando disse que Lula fica como um chefe de estado que não cumpre acordos. (veja frase abaixo e saiba mais visitando o site www.primeiraleitura.com.br)

Tudo certo, nada no lugar

O presidente da Câmara, João Paulo Cunha, também petista, também fez críticas ontem ao governo por dificultar que o Congresso avance nas votações do esforço concentrado. Segundo João Paulo, “há um processo natural de oposição e situação, mas claro que algumas ações do governo, ou a falta de ações em algumas áreas, acabam estimulando a oposição a se fortalecer”.

Autoritarismo + casuísmo = prejuízo

João Paulo citou como exemplos de ações complicadas do governo o envio do projeto de lei que cria o polêmico Conselho Federal de Jornalismo (CFJ) e a Medida Provisória que dá status de ministro ao presidente do Banco Central, Henrique Meirelles. Primeira Leitura apurou que o presidente da Câmara também ficou contrariado com a decisão do PT de interpelar judicialmente o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE). Ele estaria tentando convencer o presidente do partido, José Genoino, a retirá-la, para serenar os ânimos da oposição.

Falando em oposição...

O PFL e o PSDB mantiveram a obstrução das votações na Câmara e no Senado. Na Câmara, os principais impasses são a medida provisória que blinda Meirelles e a estrovenga chamada Conselho Nacional de Jornalismo. No Senado, há divergências sobre a Lei de Informática e sobre as PPPs (Parcerias Público-Privadas).

e falando em Meirelles...

O deputado José Roberto Arruda (PFL-DF) apresentou parecer pela inadmissibilidade da MP que blinda Meirelles. Segundo ele, a proposta não segue as exigências constitucionais de urgência e relevância. E a revista Época, em sua edição online, traz mais denúncias contra o presidente do BC, desta vez envolvendo contribuições escondidas pelo BankBoston à campanha de Meirelles a deputado federal, em 2002. Ele renunciou ao mandato quando assumiu o BC.

Assim falou... Cristovam Buarque

“Peço desculpas aos pobres que acreditaram na promessa de um choque social. Peço desculpas à oposição, à qual chamei de demagógica (...) Perdeu muito o presidente Lula, que fica como o chefe de um governo que não cumpre acordos, que não dialoga com parlamentares, que nem ao menos avisa os vetos que impõe”

Do senador petista, em pronunciamento no Senado, desculpando-se por ter apoiado o salário mínimo de R$ 260 em troca de um pacote de medidas sociais, que o presidente Lula acabou vetando

De volta ao começo

O índice de desemprego na Grande São Paulo caiu de 19,1% da população economicamente ativa (PEA), em junho, para 18,5%, em julho, segundo a pesquisa feita em parceria pela Fundação Seade e pelo Dieese. Foi o quarto mês consecutivo de queda. Houve recuo também na comparação com julho do ano passado, quando a taxa havia sido de 19,7%. Trata-se do melhor resultado do governo Lula, mas o índice de 18,5% é idêntico ao de dezembro de 2002, último mês do governo FHC. Por enquanto, é pouco demais para comemorar.

*A coluna é produzida pelo site Primeira Leitura – www.primeiraleitura.com.br

Revista Consultor Jurídico, 26 de agosto de 2004, 12h57

Comentários de leitores

7 comentários

O governo Lula é a maior decepção que o povo br...

Milton de Oliveira Simões Junior ()

O governo Lula é a maior decepção que o povo brasileiro teve em toda a história. Vem contrariando dia após dia todas as crenças que o levaram ao Poder. Viveu oito anos atacando a política de FHC, acusando-a (com razão) de ser eminentemente capitalista e protetora dos interesses das multinacionais e grandes bancos. Para a pasmacéia geral da população, o governo Lula não só manteve esta política econômica, como se comprometeu ainda mais a cumprir as exigências externas; Lula criticava ardorosamente o absurdo da desenfreada edição de medidas provisórias do Governo FHC e não só vem editando-as no mesmo ritmo como está utilizando-a para dar imunidade a integrantes da base governista envolvidos em escandalos. Lula pegou os programas sociais existentes e, como é a técnica preferida dos governos do PT, renomeou-os e faz propaganda massiva nas mídias para parecer que são novos e vitosiosos programas sociais. Se vc ouvir o presidente Lula palestrando em algum lugar vc pode até chegar a se emocionar com sua habilidade discursiva. O problema é que a hora de discursos acabou. O momento atual é de ação. E as que ele vem tomando contradizem tudo o que sempre pregou. O pior de tudo? 2006 está longe....

É por essas e outras que eu admiro o Sen. Crist...

Cremilda Farias Costa (Outro)

É por essas e outras que eu admiro o Sen. Cristovam. E se for candidato ao governo do DF terá meu voto novamente.

Infelizmente a nossa política partidária é uma ...

Adriano Paulo Almeida de Melo ()

Infelizmente a nossa política partidária é uma palhaçada mesmo... É exatamente por estas coisas que o povo brasileiro não mais acredita na política. Olha aí o preço do voto: o ataque aos direitos do cidadão, sempre e indiscriminadamente. É fazer o mal sem olhar a quem!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 03/09/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.