Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

União virtual

Software de integração processual é implantado no CJF, STJ e TRFs.

Alguns órgãos da Justiça brasileira -- Conselho da Justiça Federal, Superior Tribunal de Justiça e os cinco Tribunais Regionais Federais -- estão fazendo o projeto para a criação de um software que irá integrar os dados do STJ, CJF e da Justiça Federal.

Técnicos da área de Tecnologia da Informação e Comunicação reuniram-se, nesta sexta-feira (20/8), no Conselho da Justiça Federal, com o objetivo de dar prosseguimento ao projeto. O encontro foi feito por meio de videoconferência e reuniu representantes do CJF, do Superior Tribunal de Justiça e dos cinco Tribunais Regionais Federais.

O grupo técnico está desenvolvendo um projeto piloto de integração processual, proposta que vai ser apresentada, na próxima semana (26/8), na reunião da Comissão de Padronização da Plataforma Tecnológica da Justiça Federal no CJF.

A criação do software faz parte de uma das etapas do projeto e-jud, que pretende promover a integração dos dados do CJF, STJ e TRFs com a criação de uma rede informatizada no Judiciário.

Um dos benefícios da integração de dados será a oportunidade da parte de um processo, consultar em um só local, pela internet, o andamento processual de sua ação.

“A parte ou o advogado poderá entrar no site do CJF, ou do STJ ou dos cinco Tribunais Regionais Federais, e acompanhar a situação de um processo que está tramitando lá no TRF da 5ª Região, por exemplo”, salienta o coordenador de Desenvolvimento e Manutenção de Sistema da Secretaria de Tecnologia da Informação do CJF, Alberto Vale de Paula. O coordenador afirma que o aproveitamento é muito amplo, “a integração não será apenas processual, abrangerá também a área administrativa da Justiça Federal”.

Revista Consultor Jurídico, 20 de agosto de 2004, 14h56

Comentários de leitores

2 comentários

De que adianta a integração processual através ...

Marcos Ulysses Telles Pereira ()

De que adianta a integração processual através de informática, se os processos se arrastam pelas Varas e Tribunais, aguardando,em alguns casos, 20 anos para serem solucionados? Sem dúvida que se trata de importante passo na evolução no Judiciário Brasileiro, contudo, deve-se ter em conta que as decisões e sentenças dependem, exclusivamente dos Juízes, que são pouquíssimos, para a quantidade de processos em trâmite na Justiça nacional. Portanto, ou se aumenta significativamente o número de magistrados no Brasil ou, os avanços proporcionados pela informática chegarão ao ponto de as partes terem ao seu dispor câmeras on line para ser possível assistir os processos, como relatou o amigo Júlio Roberto. parados por meses ou anos, nos mesmos lugares. Talvez, quem sabe, a criação de softwares capazes de emitir decisões e sentenças judiciais seria, além de livrar o governo da necessária contratação de Juízes, a mais importante colaboração da informática para o Sistema ProcessuaL pátrio. Quem viver, verá. Marcos Ulysses

Prezado Julio Roberto seu comentário foi de um...

Luís Eduardo (Advogado Autônomo)

Prezado Julio Roberto seu comentário foi de uma felicidade sem igual. Parabéns. Para seu consolo, e desgraça dos jurisdicionados, aqui no TRF da 3a. Região a situação nao é diferente dai. Estamos aguardando uma decisão em Embargos de Declaração no TRF há 22 meses e acho que em breve apagaremos as velinhas de 2 anos.

Comentários encerrados em 28/08/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.