Consultor Jurídico

Comentários de leitores

12 comentários

A Brasil-Telecom é a empresa que mais gosta de ...

Rubens Alexandre do Carmo ()

A Brasil-Telecom é a empresa que mais gosta de passar o cliente para trás. Por um período superior a três meses, achei algo estranho pois quando ia utilizar o meu telefone encontrava alguem falando na linha, pensei ser linha cruzada até que recebi minha conta e pude perceber que existia vários números não conhecidos, quando liguei para empresa para obter maiores informações, me disseram que poderia ser linha clonada e nada poderia ser feito. Enquanto não falei que iria procurar o MP e a ANATEL o problema não foi resolvido. A taxa de assinatura básica é uma tremenda falta de respeito ao consumidor, já que as empresas tentam encontrar todas as formas de tirar vantagens financeiras em cima do consumidor.

A QUESTÃO DA TARIFA BÁSICA DEVE SER MESMO ANALI...

VANDELER (Advogado Autônomo - Civil)

A QUESTÃO DA TARIFA BÁSICA DEVE SER MESMO ANALISADA COM MAIS CRITÉRIO. NÃO É POSSÍVEL QUE SE DEIXE, E AQUI A ANATEL DEVE TER UM PAPEL IMPORTANTE, QUE EMPRESAS DE TELEFONIA SE ARVOREM NO DIREITO DE COBRAR TARIFA ABSURDAMENTE ALTA PARA OS PADRÕES BRASILEIROS. PARA SE TER UMA IDÉIA, A PARTIR DE 01/05/2004, O SALÁRIO MÍNIMO NACIONAL PASSOU PARA APENAS R$260,00. O valor da tarifa básica da TELEMAR, atualmente, representa aproximadamente 15% do novo salário mínimo bruto. Se a telefonia pública deve ter um papel social relevante não há que se falar numa tarifa tão opressiva para as classes sociais menos favorecidas.

Graças à inteligência e sabedoria mineira, eu s...

Silvio de Aira Mattos ()

Graças à inteligência e sabedoria mineira, eu sou paulistano e moro agora no Paraná, justiça foi feita. Aqui no Paraná existe o telefone fixo com cartão. Ou seja a pessoa recebe qualquer tipo de ligação desde que não seja a cobrar, e somente faz ligações locais. Este último é que eu acho que poderia ser liberado até o limite do cartão! Mas pelo menos a Brasil-Telecom já está agindo com mais respeito aos seus assinantes.

Graças à inteligência e sabedoria mineira, eu s...

Silvio de Aira Mattos ()

Graças à inteligência e sabedoria mineira, eu sou paulistano e moro agora no Paraná, justiça foi feita. Aqui no Paraná existe o telefone fixo com cartão. Ou seja a pessoa recebe qualquer tipo de ligação desde que não seja a cobrar, e somente faz ligações locais. Este último é que eu acho que poderia ser liberado até o limite do cartão! Mas pelo menos a Brasil-Telecom já está agindo com mais respeito aos seus assinantes.

Considero de grande valia e muito importância q...

Elton Fernandes (Advogado Sócio de Escritório - Civil)

Considero de grande valia e muito importância que tal matéria tenha um trâmite rápido pelos srs. legisladores. Não é mais possível aceitar os abusos das empresas de telefonia. Nossas agências reguladoreas são demasiadamente fracas. Vamos torcer para que logo esta lei seja votada e aprovada. Que tal a Anatel começar a pensar agora em um "extrato" detalhado de ligações efetuadas pelo usuário que comprovem o efetivo uso do telefone. O unânime é que falta controle estatal ! Esta norma vêm em boa hora.

Concordo com a sra. Jucimara, mas em breve as e...

André Gomes Fernandes ()

Concordo com a sra. Jucimara, mas em breve as empresas que não se adaptarem à política de cobrança, ficarão para trás. A empresa Embratel já está prestando um serviço de telefonia residencial na qual é possível telefone Pós e Pré-Pago sem assinatura mensal. Infelizmente, não sei o porquê, a novidade não está sendo muito divulgada.

É bom mesmo que se acabe com essa taxa que...

ed2 (Assessor Técnico)

É bom mesmo que se acabe com essa taxa que impossibilita os cidadãos de se comuncarem , pois não é qualquer um que pode pagar 30 reais por mês + o valor das ligações. Quanto ao detalhamento da conta, que a colega Jucimara fala, também é uma realidade, pois a prestadora só relata quantos pulsos o usuário utilizou , sem porém , detalahar como eles foram gastos, e se ligarmos para pedir o detalhamento , eles também falam que não têm como dar. Isso é um absurdo...

Verifiquei com a Anatel a informação sobre a pr...

Jesus Marco Calixto da rocha ()

Verifiquei com a Anatel a informação sobre a proibição de cobrança de assinatura de telefones e me disseram que ainda não tem o conhecimento dessa decisão, para passar para o comsumidor. Efetuaram um protocolo dizendo que em cinco dias úteis entraiam em contato para informa sobre a decissão.

É muito bom legar um texto como este. Começam a...

Jucimara Schiller ()

É muito bom legar um texto como este. Começam as preocupações com o "roubo" contra o consumidor. As taxas de assinatura básica na telefonia fixa sempre foi o cofrinho das operadoras. Com essa decisão a telefonia será obrigada a cumprir outra parte do CDC que é o detalhamento da conta, coisa que não é feita ainda e tão pouco cobrada pelos órgãos competentes. Aliás, esses mesmos órgãos competentes são praticamente presididos pelos oligopólios das companhias telefônicas. A concorrência entre elas não existe, os preços não são diferenciados e o mercado para a entrada de mais companhias é totalmente fechado. Se for aprovado em todo o País essa determinação o povo brasileiro terá certeza que existem algumas pessoas ainda trabalham pela melhoria da qualidade de vida dos eleitores.

Curioso como algumas notícias desaparecem da mí...

Marcelo Mateus (Corretor de Seguros)

Curioso como algumas notícias desaparecem da mídia logo depois de publicadas. Alguém pode me dizer como anda o processo mostrado no site do estadão na sexta-feira, 12 de março de 2004 - 18h12, reproduzido abaixo: “Justiça manda Telefônica devolver aumento em SP Bauru,SP - As contas de todas as linhas da Telefônica no Estado de São Paulo terão de ser recalculadas para retirar os aumentos tarifários de junho de 2001 acima do índice de 10,91% estabelecido pelo IGP-DI da Fundação Getúlio Vargas. A determinação é do juiz Fernando David Fonseca Gonçalves, da 3ª Vara Federal de Marília (SP), que em despacho da última quarta-feira deu prazo de 48 horas para o cumprimento. A medida é o resultado de uma ação civil publica proposta pelo procurador do Ministério Público Federal Jefferson Aparecido Dias, que pediu a declaração de inconstitucionalidade dos atos 17.149 e 17.150, de 21 de junho de 2001, da Anatel, que permitiram à Telesp, antecessora da Telefônica, reajustar as tarifas acima do IPG-DI do período de junho de 2000 a maio de 2001. De acordo com a ação, a operadora teria usado artifícios contábeis para fugir ao valor de 10,91% relativo ao IGP-DI daquele período, cobrando taxas diferenciadas em parte dos serviços. Na sentença, o juiz determina a devolução dos valores cobrados a mais dos assinantes, acrescidos de juros e correção monetária, através de desconto nas contas futuras. A Telefônica disse hoje, através da assessoria, que ainda não foi notificada da decisão e que aguarda a comunicação oficial para comentar o caso. ”

É de muito boa vinha, à idéia apresentada p...

MÁrcio Antônio da Costa Silva ()

É de muito boa vinha, à idéia apresentada pela associação comunitária, até porque, a receptividade social será significativa, independente das substanciais inadimplencias ocorridas, mas que se constituirão insofismavelmente um avanço nas relações de consumo, estimulando sobretudo que grande parte dos consumidores de baixa renda, possam ter acesso a este meio de comunicação que há muito deixou de ser sinônimo de status, constituíndo-se condition sine qua non para o bem estar e necessidade da sociedade. Esperamos outrossim, que as demais Comissões sejam contaminadas pela sensibilidade e visão da Comissão Participativa, aprovando à matéria supramencionada, objetivando levá-la a plenário para aprovação geral. Esperamos por termo, que em caso de aprovação, as Cias. Telefônicas não repassem aos consumidores a fatia pela perda desta arrecadação, mas vislumbrem na significativa camada dos consumidores que irão ter condição de contratar os serviços telefonicos.

1a. batalha vencida pelos consumidores. Rest...

Pedro Pires ()

1a. batalha vencida pelos consumidores. Resta saber, tão-somente, se ao final dessa guerra, tendo o resultado sido favorável aos consumidores, as Empresas de Telefonia não iriam majorar, absurdamente, as tarifas para compensar a perda dessa fonte de receita. Ou, num segundo plano, seria adotado pelo Governo Federal, algum "proer" (bancos e mídia) em favor das telefonicas. Fiquemos atentos.

Comentar

Comentários encerrados em 22/04/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.