Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Dinheiro na máquina

PGR sugere instauração de novo Inquérito contra deputado

O procurador-geral da República, Claudio Fonteles, enviou parecer ao Supremo Tribunal Federal sugerindo o desmembramento de Inquérito Policial que investiga possíveis crimes de lavagem de dinheiro (Lei 9.613/98) por suposto envolvimento do deputado federal José Mohammed Janene (PP-PR).

Fonteles acolhe parecer do procurador da República em Londrina, no Paraná, Mário Ferreira Leite, que requereu o desmembramento dos autos e a instauração de novo Inquérito contra Janene. Segundo o procurador-geral, “no desenrolar das investigações apurou-se outro fato com indícios de envolvimento do deputado”.

No parecer, Mário Ferreira Leite requer o encaminhamento, ao STF, de fotocópia do volume principal dos autos, juntamente com os apensos que tratam de cheques da L. C. Máquinas, que foram depositados na conta da empresa Bonnus Commodities. O pedido foi feito porque a transação envolve o deputado Janene e é nessa parte que se pede a abertura de outro Inquérito.

No parecer, Fonteles sugere que os apensos com as fotocópias de cheques emitidos pelo corretor de aplicações financeiras junto à empresa Bonnus Commodities, Waldir Vicente do Prado, também sejam encaminhadas ao STF para fazer parte do novo Inquérito.

O procurador da República requereu, ainda, que a Justiça Federal de São Paulo dê continuidade às investigações quanto ao suposto crime de lavagem de dinheiro que teria sido praticado pelos responsáveis pela empresa Realty Investimentos e Participações Ltda. Para tanto, pede que sejam enviados ao Cartório Distribuidor da Justiça Federal de São Paulo o volume principal dos autos juntamente com o apenso que trata da empresa.(PGR)

INQ nº 2.103

Revista Consultor Jurídico, 14 de abril de 2004, 15h19

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 22/04/2004.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.