Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sexta-feira, 24 de outubro.

Primeira Leitura: José Alencar volta a defender redução de juros.

Tristes recordes

O desemprego na região metropolitana de São Paulo chegou a 20,6% da população economicamente ativa em setembro, a maior taxa da história da pesquisa Dieese-Seade, que começou a ser feita em 1985. Em agosto, a taxa já havia sido muito elevada, de 20%, e os técnicos do Dieese e da Fundação Seade esperavam que a sazonalidade favorável do fim do ano fizesse com que o desemprego recuasse.

Tristes inovações

Setembro, afinal, é mês de criação de empregos -- foi assim durante 16 anos da pesquisa Dieese-Seade, entre 1985 e 2001. Só ano passado, com a crise financeira do segundo semestre e a turbulência eleitoral, a Grande São Paulo fechou mais empregos do que criou num mês de setembro. Mas neste ano, o inusitado se repetiu. Em 30 dias, 49 mil empregos foram destruídos.

Não era para ser(?)

Não era para ser assim, diriam os mais crédulos. Setembro, afinal, foi o terceiro mês consecutivo de queda da taxa básica de juros, e o crescimento estava na pauta do governo e da sociedade. Mas será que não era para ser assim? Ora, o rendimento médio real dos trabalhadores apurado nessa mesma pesquisa, só que referente a agosto, teve queda real de 6,6% em relação a agosto do ano passado. Para quem prefere o dado nacional, fique com o do IBGE, que é pior ainda: queda de 14,6% em setembro. Sem renda, como haverá crescimento?

Naufrágio

Ou seja, torna-se cada vez mais evidente que a agenda positiva do governo Lula está naufragando na falta de renda da sociedade e na cegueira do Banco Central em relação à economia real. Basta lembrar a redução da taxa-Selic anunciada na quarta: 1 ponto percentual, somente, no limite mais conservador do que esperava o mercado. E assim o Brasil permanece com a taxa de juros real mais alta do mundo: em torno de 12%!

Espírito

Concorde-se ou não com as opiniões do empresário Antônio Ermírio de Moraes, o fato é que, ontem, ele demonstrou espírito ao dizer que, em vez do Fome Zero, melhor seria que o governo investisse no Desemprego Zero. "Temos milhares de pessoas passando necessidade. Mas o problema delas é falta de poder aquisitivo. O que as pessoas precisam é de emprego."

O que diz o vice

"Todo mundo sabe que as taxas de juros no Brasil estão muito altas", afirmou José Alencar, o vice-presidente, ao comparar o "gradualismo"do Banco Central com a veloz deterioração do setor real da economia. Ele convocou o que chamou de "movimento de inteligência nacional" em defesa da redução da taxa de juros.

Assim falou...Luiz Inácio Lula da Silva...

"Não é possível utilizar a miséria. É preciso parar de uma vez por todas de usar políticas que são a nossa obrigação como instrumento político."

Do presidente da República, fazendo política quando diz condenar quem a faz. É bom lembrar que o Fome Zero é uma marca criada pelo publicitário Duda Mendonça para promover o governo, especialmente em cidades nas quais o PT teve baixa performance nas últimas eleições.

A história se repete

A assessoria do ministro Agnelo Queiroz (Esporte) confirmou que ele depositou na conta do Tesouro Nacional, ontem, R$ 5.436, dos R$ 11.112 que ele recebeu para pagar despesas que foram bancadas pelo Comitê Olímpico Brasileiro (COB) durante os Jogos Pan-Americanos de Santo Domingo, no início de agosto. Queiroz só tomou a decisão depois de críticas da ex-jogadora Paula, que deixou a Secretaria Nacional de Alto Rendimento da pasta. O pagamento, pelo COB, das despesas do ministro teria sido um dos motivos que levou Paula a se demitir. Segundo a Folha de S.Paulo, ela considerava que havia um conflito ético, pois o COB recebe dinheiro do governo e tem interesses estratégicos nas decisões do ministério.

Queiroz é o segundo ministro a devolver dinheiro ao Tesouro. A ministra Benedita da Silva (Assistência e Promoção Social) devolveu R$ 4.676,38 que gastou em uma viagem a Buenos Aires para participar de um evento religioso de seu interesse pessoal. Em meio à uma crise ética, o governo Lula recebeu mais um golpe: a ONG Transparência Internacional divulgou uma carta aberta ao presidente Lula em que cobra as medidas de combate à corrupção, que, durante a campanha, havia prometido realizar.

Revista Consultor Jurídico, 24 de outubro de 2003, 9h52

Comentários de leitores

2 comentários

um bvre comentário. o brasil tem homens publico...

Roberto Rocha Moreira ()

um bvre comentário. o brasil tem homens publicos e corajosos como josé alencar, tnonio hermirio de morais e outros. tm também a paula do baqueete, dque não aceitou ser bode espiatório do governo. mamar no governo sem fazer nada. tem gente de brio, de vergonha. parabens para todos. o governo lula e de um monte de inexperiêntes. neófitos, não são do ramo e por esta razão o brasil está cada vez pior.

Muda governo, mas a prática de improbidade, do ...

João Henrique Giometti Bertonha (Advogado Associado a Escritório)

Muda governo, mas a prática de improbidade, do nepotismo e a irresponsabilidade dos detentores do poder continua. Vivemos sob o império dos demagogos e irresponsáveis, que para alcançar seus objetivos políticos oferecem o céu aos seus constituintes, depois de eleitos os jogam literalmente no inferno. Quando candidatos, são ferrenhos opositores ao governo vigente, com ácidas e insistentes críticas à injusta distribuição de renda do nosso País, realmente uma das piores do mundo. No poder, mudam radicalmente de opinião, a pretexto de conter a inflação, aumentam despropositada e irracionalmente a taxa de juros, contemplando os agiotas que atuam livremente no mercado financeiro com as maiores e mais exorbitantes taxas do planeta. Os demais setores economicos, depauperados e endividados pelos desastrosos e sucessivos planos economicos se vêem mais uma vez, obrigados a arcar com estes juros excorchantes. E toda a sociedade, através das propaladas "reformas" que nada mais são do que nova "derrama" de impostos, se vê obrigada a arcar com esses aumentos insuportáveis. Até o Poder Judiciário, guardião da justiça se encontra sob suspeita pelas decisões "políticas" praticadas ao alvedrio dos princípios contidos na nossa carta constitucional que vem provocando este verdadeiro caos social, pela falta de justiça e cujas danosas consequëncias decorrentes da insegurança social geram a falta de segurança, saúde, educação, habitação, enfim dos direitos consagrados no Estado de Direito que deveríamos viver. É preciso sim uma reforma do Judiciário, mas no sentido de melhor decidir, de decidir com equidade e senso de justiça em pról da sociedade e nâo politicamente com vem ocorrendo. É preciso dar um basta nesta roubalheira. Neste vergonhoso e acintoso desfalque de verbas públicas que tanto mal vem causando à sociedade e aos 50 milhões de miseráveis que vivem praticamente à míngua. O demagógico programa Fome Zero deveria ser substituido por "Corrupção Zero", pois o país já é o campeão mundial em tributos, arrecadando mais de 40% do PIB nacional e se esta dinherama não fosse desviada, certamente teríamos condições de acabar com os miseráveis que vem aumentando a cada ano. É preciso reduzir os juros exorbitantes de forma a permitir redução gradativa nos impostos cobrados, permitindo que as empresas possam pagá-los, pois da forma que está, acima da capacidade contributiva destas, é impossivel arcar com todas as obrigações de impostos, taxas e contribuições.

Comentários encerrados em 01/11/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.