Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleições 2003

Conheça o perfil dos eleitores dos candidatos ao comando da OAB-SP

O Instituto de Pesquisa Brasmarket detectou os ramos de atuação dos eleitores dos candidatos ao comando da OAB paulista. A pesquisa foi feita com 2.122 advogados de 13 a 17 de outubro. Responderam a entrevista 1.062 homens e 1.060 mulheres na capital, Grande São Paulo e interior.

Luiz Flávio Borges D'Urso está em primeiro lugar com 24,6% da preferência eleitoral. Em segundo, está Valter Uzzo com 8,9% dos votos. Em terceiro aparece Roberto Ferreira com 7,9%. (Saiba as posições dos outros candidatos no link que está no final da notícia).

A Brasmarket perguntou aos entrevistados: Qual é o ramo da advocacia em que se especializou ou dedica mais tempo? Os advogados poderiam responder entre: Direito do Trabalho, Cível e Família, Tributarista/Empresarial/ Comercial, Criminalista/Direito Penal, Previdenciário/Internacional/Outras especializações, Mista/Advocacia em geral.

A pesquisa foi feita por área de atuação. Cada especialidade é um universo (100%). Ou seja, de cada 100 criminalistas, por exemplo, que responderam à pesquisa, o levantamento indica quantos estão com cada candidato. A revista ConJur selecionou as três especialidades mais expressivas dentre os eleitores de cada candidato para publicar.

Ainda estão indecisos: 30,6% dos advogados trabalhistas, 32,9% dos que atuam na área cível, 22,2% dos tributaristas, 23,5% dos criminalistas, 21,5% da área previdenciária e 30,5% dos que atuam na advocacia em geral.

Dos advogados que responderam a pesquisa, não pretendem votar ou anularão os votos: 6,1% da área trabalhista, 3,8% da área cível, 9% dos tributaristas, 4,2% dos criminalistas, 2,5% dos previdenciários e 3,6% da advocacia em geral.

Perfil

Da área previdenciária, 27,8% dos advogados que responderam votariam em D'Urso. Dos criminalistas, 27% escolheriam o candidato. Da área cível, ele conta com o apoio de 25,6%.

Dos tributaristas, Uzzo tem o apoio de 16,9%. Da área previdenciária, ele conta com 12,7%. Dos trabalhistas, Uzzo seria escolhido por 11,9%.

Dos advogados da área previdenciária que responderam, 13,9% votariam em Roberto Ferreira. Da advocacia em geral, ele contaria com o apoio de 12,1%. Dos criminalistas, Roberto Ferreira seria escolhido por 7,5%.

Dos advogados tributários, 11,1% apoiariam Clito Fornaciari. Da advocacia em geral, 9,5% escolheriam o candidato. E dos criminalistas, 7,8% votariam em Fornaciari.

Dos eleitores da área cível que responderam a pesquisa, 6,6% votariam em Rosana Chiavassa. Entre os criminalistas, ela conta com 6,2% da preferência. Dos que atuam na advocacia em geral, 5,6% escolheriam Rosana Chiavassa.

Dos advogados da área previdenciária, 7,6% votariam em Vitorino Antunes. Da área cível, ele contaria com o apoio de 4,8%. Dos que atuam na advocacia em geral, o candidato seria escolhido por 3,8%.

Dos advogados criminalistas, 6,8% votariam em Luiz Antônio Sampaio Gouveia (Pitô). Dos previdenciários, ele seria escolhido por 3,8%. Dos trabalhistas, 2,9% votariam no candidato.

Dos advogados trabalhistas, 6,5% apoiariam Aylton Gimenez. Da área previdenciária, ele contaria com os votos de 5,1%. Dos advogados tributaristas, 3,2% escolheriam o candidato.

Da área trabalhista, 2,9% dos advogados apoiariam Carlos Ergas. Dos criminalistas, 2% votariam no candidato. E dos tributaristas, 1,6% escolheriam Ergas.

Revista Consultor Jurídico, 21 de outubro de 2003, 17h50

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.