Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Nova chapa

Clito e Pitô unem forças para disputar o comando da OAB-SP

A oposição ganhou músculos na luta pelo comando da OAB paulista. Clito Fornaciari e Luiz Antonio Sampaio Gouveia (Pitô) uniram-se numa nova chapa. A decisão foi tomada na última segunda-feira (20/10), em reunião no escritório de Clito.

Clito será o cabeça e Pitô, candidato a vice. Também se incorporou à chapa o advogado Aylton Gimenez, que concorrerá à Presidência da Caixa de Assistência dos Advogados de São Paulo (Caasp). Aylton lançou-se como pré-candidato no início da corrida eleitoral, mas já havia se unido a Pitô.

A chapa reserva o cargo de secretário-geral da OAB-SP para Eli Alves da Silva, e a Vice-Presidência da Caasp para João Carlos Araújo Cintra.

Para Clito, a coligação é uma grande conquista porque não é uma somatória de números, mas de esforços de advogados com ideais e princípios semelhantes. "Inclusive, o nome que o pessoal do Pitô estava usando -- Umbigos no balcão -- eu usei na campanha de 1997. Há muita afinidade", afirmou em entrevista à revista Consultor Jurídico. Segundo ele, a chapa nasce com espírito de "oposição com umbigos no balcão" -- uma referência aos slogans dos dois.

Para o candidato, a nova chapa tem condições de disputar de perto com Luiz Flávio Borges D'Urso -- o candidato que lidera as duas pesquisas de intenção de voto publicadas pela revista Consultor Jurídico. Pelo último levantamento, a soma dos índices de intenção de voto de Clito, Pitô e Aylton é de 13,6%. D'Urso tem 24,6% e o segundo colocado, Valter Uzzo, tem 8,9%.

Segundo Clito, a formação da chapa nada tem a ver com a pesquisa. "Já estávamos conversando há uns dez dias", afirmou. O candidato disse, ainda, que ele e Pitô agora se concentram em definir a chapa, unindo o que há de melhor entre seus aliados.

Revista Consultor Jurídico, 21 de outubro de 2003, 17h49

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 29/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.