Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Resposta pronta

OAB-MA rebate acusações de pré-candidato ao comando da entidade

A OAB do Maranhão divulgou documento afirmando que o estardalhaço feito pelo candidato à presidência da entidade, Carlos Nina, em relação ao acordo celebrado com a Caixa de Assistência dos Advogados do Maranhão (Caama) -- seu braço social -- tem fins marcadamente eleitoreiros e não conseguirá prejudicar o objetivo da transação.

Segundo a entidade, com o acordo, foram feitos acertos econômico-financeiros entre as duas entidades, o que evitou prejuízos à OAB-MA. De acordo com o documento, "trata-se de um ato bilateral, firmado por quem tem legitimidade para fazê-lo, no caso os seus diretores, cujas condutas, pautadas na probidade e na honestidade no seio da sociedade e da advocacia, desafiam prova em contrário."

A OAB-MA questionou porque só agora está sendo feita a "denúncia", já que o autor, ao longo dos últimos seis anos, tem convivido com a OAB e com seus problemas, aprovado as contas da Diretoria e pronunciado, em várias oportunidades, discursos elogiosos ao atual presidente da OAB-MA, Raimundo Marques. Carlos Nina é conselheiro federal pela OAB maranhense, eleito duas vezes na chapa do atual presidente.

"É evidente que o 'escândalo' dado à questão tem finalidade eleitoreira e somente eleitoreira, visto que o acordo não foi feito às escondidas e nenhum prejuízo causou as entidades e aos advogados, muito menos qualquer dispositivo legal foi violado. Tudo foi feito com transparência", afirmou a direção da OAB-MA no documento.

De acordo com a Seccional, não há -- como quis fazer crer o autor do estardalhaço -- o "rombo" que pressupõe destinação desonesta, ou desvio de qualquer valor pertencente aos advogados. Para a instituição, a insinuação é maledicente e sórdida e, no momento oportuno, terá que ser explicada no âmbito adequado.

A OAB maranhense sustentou, ainda, que o acordo teve a participação efetiva da advogada Jane Bentivi, candidata a presidência da Caama na chapa de Nina. (OAB-MA)

Revista Consultor Jurídico, 16 de outubro de 2003, 18h13

Comentários de leitores

1 comentário

Este fato sobre a CAAMA/MA, veio à tona somente...

Heurides Serra Ferreira ()

Este fato sobre a CAAMA/MA, veio à tona somente agora no mês de outubro, próximo passado, precisamente no dia 06/10/2003, portanto o candidato CARLOS NINA, não podia denunciar um fato que até então era desconhecido pela maioria da classe. Portanto, o candidato CARLOS NINA, está certissimo ao levar à tona um caso que era desconhecido pela classe de advogados do Maranhão, embora este fato seja de interesse à classe nacional. O mais engracado é que nada foi desmentido, e, os Presidentes anteriores estão ratificando o que foi denunciado pelo candidato CARLOS NINA. Necessário se faz uma cobranca à OAB nacional, para a instauracão de um Processo Administrativo e a apuracão do denunciado, que com certeza mostrará a verdade se os fatos denunciados são verdadeiros ou não e que sejam devidamente aplicadas com imparcialidade as sancões a quem de direito.

Comentários encerrados em 24/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.