Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Novo comando

Direção do Colégio e Ordens de Advogados do Mercosul toma posse

Tomou posse nesta segunda-feira (13/10), na sede do Conselho Federal da OAB, a nova direção executiva do Colégio e Ordens de Advogados do Mercosul (Coadem).

Desde que foi criado em 1993, esta é a segunda vez que o Coadem será dirigido por advogados brasileiros, designados pela OAB: Sergio Ferraz (presidente), Alberto de Paula Machado (secretário executivo) e Paulo Sérgio Mazzardo (tesoureiro). Foram empossados também, como delegados permanentes, Luiz Antonio de Souza Basílio e José Bento Vidal. Sergio Couto, é o coordenador de projetos institucionais do Coadem.

Prestigiaram a solenidade o ex-presidente Abel David Robles (Argentina), Humberto Granada (delegado pela Argentina), Daniel Andrade (ex-secretário executivo, Argentina), Diana Moralejo (ex-tesoureira, Argentina), Ronald Herbert (presidente do Colégio de Abogados do Uruguai), Marco Garcia Claro (vice-preisdente do Colégio de Abogados de Bolívia).

Sergio Ferraz afirmou que a posse da nova diretoria ocorre em momento tão promissor quanto preocupante. "Tempos duplamente promissores, para começar. Em primeiro plano porque a gestão do eminente presidente Abel David Robles se revestiu de tal dinamismo, ampliando os horizontes do COADEM e aprofundando os alicerces de sua implantação, que nosso colégio do Mercosul se transformou num marco irreversível da grande obra, que a nós todos cabe, de aperfeiçoamento e crescente integração da advocacia de nosso continente", disse.

"E, em segundo plano, promissores tempos ainda porque, com os novos ventos políticos que sopram no Brasil, na Argentina, no Uruguai, no Paraguai, no Chile e na Bolívia, o Mercosul volta a ser uma força-idéia, um escudo de proteção e esperança, capaz de evitar que outras alianças regionais poderosas e os interesses hegemônicos de nações ricas sangrem à exaustão as já tão profundas veias da unidade latino-americana", completou.

A expansão do terrorismo político-ideológico traz preocupação, segundo Sergio Ferraz, na medida em que o problema tem sido enfrentado com a diminuição das garantias individuais e o crescente cerceamento à atuação dos advogados. Lembrou, ainda, que na onde da liberação do comércio mundial, patrocinada pela OMC, a advocacia européia e norte-americana vem invadindo o terreno profissional arduamente conquistado pelos advogados sul-americanos.

"Lutaremos, juntos, por dois anos difíceis, em busca de um horizonte menos carregado. Juntos, também, corações e mentes unidos, desdobraremos dedicados esforços para generalizar no continente a matrícula obrigatória dos advogados em seus Colégios, para edificar um colégio de Ética a todos nós comum, a pesquisar e assegurar o estabelecimento de padrões qualitativos mínimos para os cursos jurídicos no Mercosul, a consagrar o exame de ordem para a advocacia continental, tudo isso com vistas à criação de um espaço

único para o exercício profissional dos advogados de nossas nações irmãs: o Mercosul", concluiu. (OAB)

Revista Consultor Jurídico, 13 de outubro de 2003, 21h37

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.