Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Diários Associados

Noblat não integra mais o condomínio dos Diários Associados

O jornalista Ricardo Noblat não integra mais o Condomínio Acionário das Emissoras e Diários Associados por decisão unânime de todos os órgãos que compõem a comunhão fundada por Assis Chateaubriand. A notícia está publicada no jornal Estado de Minas.(Leia a reação de Noblat no final da notícia)

A Comissão Executiva dos Associados, presidida por Álvaro Teixeira da Costa, apresentou proposição aprovada por unanimidade de seus integrantes, declarando que "Ricardo Noblat perdeu a qualidade de donatário por ter deixado de prestar sua colaboração direta e efetiva à realização dos fins visados pelo doador".

De acordo com as escrituras cujas condições o Sr. Ricardo Noblat aceitou ao ser admitido como condômino, aquele que ficar nessas condições deixa de integrar a comunhão. A proposição foi levada à Comissão Plenária do Condomínio, presidida por Edison Zenóbio, que congrega todos os donatários do Condomínio. Através da resolução unânime, homologou a proposição da Executiva. Ricardo Noblat recorreu ao Conselho Consultivo presidido por Hindemburgo Chateaubriand Pereira Diniz, contra a tal decisão.

O Conselho Consultivo, que é o órgão de recursos do sistema, reunido para examinar o pedido de anulação da decisão da Plenária, rejeitou-o e confirmou a decisão, de tal forma que "Ricardo Noblat perdeu a qualidade de donatário e condômino, sendo imediatamente desligado da comunhão, decisão fundada nos elementos constantes dos autos, fulcrada na Cláusula VI, "h", da Escritura de Doação, que regula os casos de perda dos direitos do condômino-comunheiro que se retira, decorrentes da doação e da extinção da doação pelo implemento de condição resolutória expressa - não colaborar mais para o empreendimento e não ter cinco anos de donatário. O sr. Ricardo Noblat perdeu a qualidade de condômino, e isto ficou expressamente declarado com o não provimento de seu recurso".

O voto do relator foi aprovado por unanimidade dos membros do Conselho Consultivo. A decisão do Conselho, última instância administrativa do Condomínio, encerra o processo administrativo interno. O jornalista Ricardo Noblat não tem mais qualquer tipo de vinculação com os Associados.

Leia a nota de Ricardo Noblat

"Nunca imaginei que poderia convencer meus pares de Condomínio a não aprovarem minha expulsão. Ali o jogo contra mim estava jogado desde que derrubaram o jornalista Paulo Cabral das presidências do Condomínio e do Correio Braziliense em novembro do ano passado. Saí da direção de redação do Correio em solidariedade a ele. E porque sabia que a orientação editorial do Correio mudaria, como de fato mudou vergonhosamente. O jornal voltou a apoiar o governador Joaquim Roriz, quando nada por omitir notícias que lhe causem embaraços. E, em troca, voltou a ter o patrocínio do governo para cadernos especiais e suplementos.

Expulsaram-me, segundo notícia publicada hoje nos jornais do Grupo Associados, porque eu terei deixado de prestar "colaboração direta e efetiva" à realização dos fins visados por Assis Chateaubriand, fundador do grupo. Ora, a condição de acionista não pode ser subtraída de alguém simplesmente porque o grupo ao qual pertence não o deseja mais no exercício de funções executivas. Há muitos condomínios em casa, sem cargo executivo, que continuam condôminos. Fui eleito condômino em abril de 1999 pela unanimidade dos votos dos meus pares. Até deixar o Correio juntamente com Paulo Cabral, minha conduta ali jamais mereceu reparo do Condomínio.

Estou sendo perseguido, primeiro porque fiquei ao lado do presidente deposto; segundo porque em seguida manifestei diversas vezes minha inconformidade com o que fariam com um jornal que se tornara respeitável nos últimos oito anos; e finalmente porque em abril próximo completarei cinco anos como condômino. Uma vez que complete, só podem me expulsar mediante indenização. Antes disso, poderiam fazê-lo de graça. Caberá à Justiça a última palavra a respeito da minha situação no Grupo Associados. No final dos anos 60, o Condomínio aprovou na expulsão de Gilberto Chateaubriand dos seus quadros. Gilberto permanece condômino até hoje".

Revista Consultor Jurídico, 9 de outubro de 2003, 13h28

Comentários de leitores

1 comentário

Noblat, Meus parabéns, Noblat Depois que vc...

Eduardo Câmara ()

Noblat, Meus parabéns, Noblat Depois que vc saiu do Correio ele só serve para embrulhar carne. Passei a ler o Jornal de Brasília, muito mais honesto e informativo.

Comentários encerrados em 17/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.