Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Juros discutidos

Erro de banco em pedido dá vitória de causa para agropecuaristas

Um equívoco do Banco do Brasil levou os agropecuaristas Pedro Monteiro Lopes e Sonia Beatriz Rohde Lopes, de Itaqui (RS), a conseguir vitória na Justiça em um caso em que se discutia a cobrança de juros em um título rural. O advogado do banco pediu desistência de um processo, quando, na verdade, gostaria de ter pedido de outro.

A Terceira Turma do Superior Tribunal de Justiça negou, por unanimidade, o pedido de reconsideração do BB, com o argumento de que, com a desistência, os efeitos da interposição de recurso cessaram. O erro do banco, para a Terceira Turma, não altera a situação jurídica que transcorreu frente à desistência.

O advogado do BB se confundiu porque havia um outro processo, envolvendo as mesmas partes, que tramitava também na Terceira Turma do STJ. Só que o relator era o ministro Carlos Alberto Menezes Direito. A relatora do processo -- alvo do pedido de desistência -- era a ministra Fátima Nancy Andrighi.

Para o Banco do Brasil, em pedido formulado à Terceira Turma, a ministra Nancy poderia ter reconsiderado o pedido, anulando os efeitos da desistência. "Cabe ao magistrado apurar se a manifestação da vontade foi regular", argumentou a defesa.

De acordo com a ministra Nancy, o argumento do banco de que houve erro na manifestação da vontade não merece ser acolhido. "É inviável a pretensão do Banco do Brasil em ver reconhecido seu pedido, pelos efeitos imediatos decorrentes da referida homologação", afirmou. Isto quer dizer que o pedido de desistência já havia provocado efeitos jurídicos. Abrir precedentes para o banco poderia ameaçar a segurança da prestação jurisdicional.

De acordo com a jurisprudência do STJ, a desistência não comporta condição nem termo, e independe da anuência do recorrido, que não precisa nem ser ouvido a respeito. (STJ)

Processo: Ag 494.724

Revista Consultor Jurídico, 7 de outubro de 2003, 10h46

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 15/10/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.