Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

O Ovo da Serpente

Conheça o Relatório que gerou as prisões na Operação Anaconda

A revista Consultor Jurídico publica aqui, com exclusividade, um dos relatórios da Diretoria de Inteligência da Polícia Federal que gerou, entre outros, a prisão do juiz Rocha Mattos, do delegado federal José Augusto Bellini e do agente federal César Hermann.

A importância do relato que se segue, contudo, pede uma reflexão. Afinal, o assunto em questão envolve um problema genuinamente nacional: a identidade do país.

Ao optar, no ano passado, por uma administração petista, os brasileiros deram o recado de que, mesmo não sabendo muito bem o que querem, já não acreditam no caminho convencional para a solução dos problemas do país.

Enquanto o Brasil e os brasileiros decidiam o que vão ser se crescerem, o Ministério Público e a Polícia Federal vasculhavam antros e auscultavam conversas de malandros federais integrantes da larga banda podre do poder público brasileiro e seus correspondentes na iniciativa privada.

Ainda há questões não muito claras em torno desse debate. Uma delas é se o direito de defesa dos acusados está sendo rigorosamente observado no caso. Outro aspecto é se a imprensa pode noticiar os fatos apurados. Uma expressão de duas palavras, contudo, vem justificando não só algumas excepcionalidades na investigação como a ação da imprensa.

Trata-de do interesse público que deve se sobrepor aos interesses individuais dos envolvidos.

Dentro dessa ótica, acompanhe, examine e reflita sobre cada passo detalhado dos policiais federais:

Relatório Parcial de Inteligência

(AUTO CIRCUNSTANCIADO 18)

Ref. Processo nº. 2002.80.00.2311/7

Senhor Delegado;

Apresento a Vossa Senhoria síntese das diligências e resultados das interceptações realizadas em nossas bases operacionais de MACEIÓ/AL e SÃO PAULO/SP.

BASE DE MACEIÓ

Em MACEIÓ a interceptação e monitoramento do telefone celular: (82) 9302-6551, pertencente ao investigado JORGE LUIZ BEZERRA DA SILVA refere-se à décima primeira prorrogação de prazo e compreende o período de 06/05 a 20/05/03.

DO TELEFONE MONITORADO:

TERMINAL (82) 9302-6551

Durante o período de monitoramento do terminal acima não foram registradas conversas relacionadas com o assunto da presente investigação. As gravações estão sendo mantidas e não transcritas. No entanto, após uma análise mais aprofundada das gravações pertencentes ao período anterior, foram detectados os seguintes diálogos relevantes para o presente procedimento:

Em gravação efetuada na fita nº 28, lado A, referente ao período de 12/04/03 a 16/04/03, EVALDA liga para JORGE LUIZ e diz que JOÃO BATISTA telefonou e passou o valor de R$ 13.860,00, do cheque. JORGE pede para EVALDA fazer o cheque.

Na mesma fita, lado B, referente ao período de 16/04/03 a 23/04/03, MÁRIO (possivelmente DPF MÁRIO LUIZ VIEIRA) liga para JORGE LUIZ dizendo que está em PORTO ALEGRE e avisa que chegará em MACEIÓ amanhã, às 23 h 55 min, pois fizeram uma confusão com os bilhetes e suas malas foram para GUARULHOS. JORGE LUIZ pergunta por que MÁRIO não chega mais cedo, argumentando que poderiam fazer uma grande farra. JORGE LUIZ diz que MÁRIO vai participara da inauguração de sua lancha CORAÇÃO VALENTE.

Em gravação efetuada na fita nº 29, lado A, referente ao período de 25/04/03 a 26/04/03, JORGE LUIZ liga para seu filho PEDRO e pede para o mesmo buscar no aeroporto o Dr. MÁRIO e levá-lo para o HOTEL COSTA MAR. JORGE LUIZ informa o número do telefone de MÁRIO, ou seja, (54) 9971-0560.

BASE DE SÃO PAULO

Em SÃO PAULO/SP são os seguintes telefones monitorados e prazos concedidos pela Justiça:

telefone celular (11) 9915-0451, referente à décima terceira prorrogação de prazo que compreende o período de 06/05 a 20/05/03. Mencionado telefone pertence ao investigado JORGE LUIZ BEZERRA DA SILVA;

- telefone celular (11) 9985-6898, referente à décima primeira prorrogação de prazo e compreende o período de 06/05 a 20/05/03. O terminal antes referido pertence a CÉSAR HERMAN RODRIGUEZ.

- telefone celular (11) 9955-5425, referente à sexta prorrogação de prazo correspondente ao período de 06/05 a 20/05/03. Citado terminal pertence ao investigado JOSÉ AUGUSTO BELLINE.

- telefone celular (11) 9687-0186, referente à terceira prorrogação de prazo, correspondente ao período de 06/05 a 20/05/03. Este terminal também pertence ao investigado CÉSAR HERMAN, sendo que esse número foi fornecido pela TELESP apenas para chamadas efetuadas, em virtude do terminal (11)9985-6898 ter sido clonado. As ligações dos telefones (11) 9985-6898 e (11) 9687-0186 são desviadas para um único telefone utilizado para captação do áudio.

- telefone celular (11) 9723-2133, referente à segunda prorrogação de prazo, correspondente ao período de 20/05 a 20/05/03. Referido terminal é utilizado pelo investigado CÉSAR HERMAN.

Revista Consultor Jurídico, 15 de novembro de 2003, 16h22

Comentários de leitores

1 comentário

Espero que tanto os policiais e os Juizes sejam...

Antonio Carlos Álvares Moysés (Servidor)

Espero que tanto os policiais e os Juizes sejam realmente presos, cumpram toda a pena e devolvam o que comprovadamente roubaram e extorquiram. Se forem apenas aposentados, o crime terá compensado e muito.

Comentários encerrados em 23/11/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.