Consultor Jurídico

Atrás do prejuízo

Judiciário precisa reconquistar o respeito e a confiança do brasileiro

Retornar ao texto

Comentários de leitores

6 comentários

S.Exa só se esqueceu de dizer que os Conselhos ...

Rodolfo Hazelman Cunha ()

S.Exa só se esqueceu de dizer que os Conselhos de Magistratura, bem que poderiam mostrar a sociedade suas providências, pois o incrível é que todas essas providências da famigerada Anaconda, não surgiram de órgãos que, bem poderiam controlar melhor seus integrantes. Sair com a alegação demagógica de que o Judiciário atua sob provocação, demonstra que a inécia do Judiciários servirá de cortina de fumaça para que a população desacretite ainda mais dele. No mais verba, verba e mais verba resolveria os problemas materias e os problemas morais e a corrupção ainda não descoberta???

Numero excessivo de Recursos e processos não po...

Jose Aparecido Pereira ()

Numero excessivo de Recursos e processos não podem ser justificativas para a dificuldade que vem enfrentando o Poder Judiciário, pois o seu trabalho é exatamente este, e deve ser feito com competência. Quando aumenta o número de demandas significa que o povo esta buscando mais o seu Direito o que é bom para o Pais e não ruim como querem alguns. Até que enfim o Judiciário parece estar tentando buscar solução para sua crise, mas será que culpar o Executivo e o Legislativo é suficiente. Será que todos estão errados e o Judiciário não. A administração do dinheiro público está sendo feita corretamente, se está por que a resistência ao controle externo. Que tal fazer greve para que se melhore a estrutura do Judiciário, ou, pelo menos ameaçar deflaga-la se isso não houver essa melhora.

Digo mais. Quem quiser duvidar, lá compareça. ...

Antonio Fernandes Neto (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Digo mais. Quem quiser duvidar, lá compareça. Somente no Anexo Fiscal da Comarca de Ribeirão Pires, perto da Capital de São Paulo, cidade pequena, tramitam mais de 50.000 (isso mesmo, mais de cinquenta mil) processos de execução fiscal da União e suas Autarquias, Do Estado e do Município. Aja Juíz para dar conta de tudo isso. Dr. Buitone. Os Juízes, pelo menos os daqui de São Paulo, são a favor de os conflitos serem solucionados através de arbitragem e conciliações e somente em último caso, sejam levados à Justiça. Mas, creia-me, antes de ontem li uma reportagem sobre entidades que promovem Arbitragem e Mediação e, pasme o Dr., falava em parcialidade e corrupção dos árbitros e conciliadores e que tais Entidades somente visavam receber seus polpudos honorários. Não me canso de dizer que a solução para o Poder Judiciário está no seu desvinculamento adstrito tão só do Orçamento que é feito pelo Poder Executivo e ter, além do que lhe é destinado nesses Orçamentos, suas verbas próprias, como custas, taxas e emolumentos, que por ele são recolhidos, mas que vão para os cofres do Executivo.

No mundo todo o que está em crise é a Justiça m...

ademir buitoni (Advogado Sócio de Escritório)

No mundo todo o que está em crise é a Justiça monopolizada pelo Estado.È preciso desenvolver os meios extrajudiciais de solução de conflitos,fora dos limites burocráticos ,impostos pelas normas processuais formalistas do Direitio positivo estatal.Grande parte dos processos não chegam a ter seu mérito apreciado por razões formais.Na Mediação,Na Arbitragem...e procedimentos análogos,onde as partes têm oportunidade de analisar as causas dos problemas,sem formalidades rígidas,as questões são decididas de forma mais satisfatória.È preciso desenvolver as formas mediáticas de solução de conflitos,de modo interdisciplinar,com auxílio de psicólogos,sociólogos,economistas,pedagogos...recolocando a questão da justiça como virtude e como equidade no centro da questão e diminuindo o peso da racionalidade técnica,que tem tornado opaco,nada transparente,as decisões judiciais.Há um projeto de lei sobre Mediação ,em tramitação no Congresso Nacional,que deve ser objeto de discussão principalmente pelos operadores jurídiocos.Menos Justiça Estatal e mais justiça produzida pelos próprios interessados ,essa é a melhor solução para sair da crise de insatisfação que o Brasil atravessa no tocante á solução de conflitos pelo desacreditado Poder Judiciário nacional..Ademir Buitoni-advogado em São Paulo.

Deijair, Pelo menos aqui em Mato Grosso, se nã...

Igor Giraldi Faria ()

Deijair, Pelo menos aqui em Mato Grosso, se não me engano, vi uma decisão que obriga a empresa de telefonia em detalhar em sua conta de telefone, as ligações locais que ultrapassarem o limite de franquia de pulsos, sob pena de não poder cobrar. Afinal de contas, o Consumidor tem o direito de saber pelo que está pagando, detalhadamente. No seu caso, acho que ainda resta uma esperança. Consulte seu Advogado. att Igor Giraldi Faria OAB/MT 7245

Como Confiar, Entrei na justiça contra a Telem...

Deijair Santos Barreto ()

Como Confiar, Entrei na justiça contra a Telemar aqui em Salvador, pois, a minha conta telefônica estava vindo com excesso de pulso alem franquia, coloquei ploqueador no meu telefone mesmo assim continuou vindo muito alta a conta (pulsos alem franquia). No juizado a juíza mim perguntou se eu tinha como provar que eu não tinha feito as ligações eu disse que não, perguntou a advogada da telemar se ela tinha como provar que eu tinha feito as ligações, ela disse que não aí, a juíza disse, como vocês não tem como provar eu vou dar a sentença, para minha surpresa a sentença foi contra mim, (improcedente), como meu nome estava no Serasa e SPC eu tive que fazer um acordo com a Telemar e pagar a divida em 7 (sete) parcelas com juros e correção. A divida era de mais de R$ 600,00, se eu fosse recorrer tinha que pagar mais de R$300,00, preferir ficar no prejuízo. Atenciosamente, Deijair santos Barreto dsbarreto@atarde.com.br salvador-ba

Comentar

Comentários encerrados em 22/11/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.