Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Realidade brasileira

Juízes chineses se espantam com causas repetitivas no STJ

O número de processos com causas repetitivas em trâmite no Superior Tribunal de Justiça causou espanto em juízes chineses que estiveram na Corte na manhã desta quarta-feira (12/11). O presidente do Superior Tribunal de Justiça, ministro Nilson Naves, conversou com os juízes sobre a reforma do Judiciário -- que pode dar maior celeridade à Justiça e reduzir a competência de modo a diminuir o número de ações.

O vice-presidente do Supremo Tribunal Popular da China, Jiang Xingchang, estava acompanhado de outros três juizes, o chefe da Divisão Internacional daquele Tribunal, o secretário da Embaixada da China e um interprete.

Além do presidente, participaram da reunião o vice-presidente Edson Vidigal e os ministros Pádua Ribeiro, Ari Pargendler, Felix Fischer e Eliana Calmon e a presidenta do Tribunal Regional Federal da Terceira Região, Ana Maria Pimentel.

A reunião serviu como uma troca de experiências entre as Justiças do Brasil e da China, país que o presidente do STJ visitou de 27 de outubro a 5 de novembro deste ano, para participar da V Conferência dos Presidentes dos Supremos Tribunais de Justiça da Comunidade dos Países e Territórios de Língua Portuguesa (CPTLP).

De Brasília, os magistrados chineses seguem para o Rio de Janeiro, já tendo visitado São Paulo, onde estiveram no Tribunal Regional Federal da 3ª Região. (STJ)

Revista Consultor Jurídico, 12 de novembro de 2003, 12h29

Comentários de leitores

2 comentários

Será que é possivel exercer na CHINA o amplo di...

Paulo Trevisani (Advogado Assalariado - Previdenciária)

Será que é possivel exercer na CHINA o amplo direito de defesa? Será que os chineses vivem um democracia plena? É preciso antes de tudo esclarecer o exerciio destes direitos.

O Dr. Homero foi ao ponto central da questão. A...

Luís Eduardo (Advogado Autônomo)

O Dr. Homero foi ao ponto central da questão. Acho que qualquer jurisdicionado prefere as causas repetitivas daqui, do que "nenhum direito à causa" do país dos juizes visitantes.

Comentários encerrados em 20/11/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.