Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Manual de guerra

Garisto e Paulo Lacerda se estranham na frente de Thomaz Bastos

Na manhã desta quarta-feira (12/11) um qüiproquó contido, mais ainda assim um qüiproquó, instalou-se no gabinete do ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. Por volta das 10h da manhã Francisco Carlos Garisto, que teve um encontro com o ministro para tratar de assuntos da Polícia Federal, estranhou-se com o diretor da PF, Paulo Lacerda. Garisto cumprimentou Lacerda, mas não foi correspondido. E, rápido no gatilho, Garisto disparou: "É assim que a Polícia Federal vem sendo tratada, ministro".

Ele é presidente da Federação Nacional dos Policiais Federais, que conta com 12 mil associados no Brasil. Garisto, que chegou a ser cogitado para a diretoria da PF, foi tratar de narcotráfico com o ministro. "Eu disse ao ministro que do jeito que está não pode continuar", relatou Garisto à revista Consultor Jurídico.

"A Polícia Federal só está cuidando de combater o crime nas grandes capitais, que é bem o estilo do doutor Paulo Lacerda. Mas eu digo que nossas fronteiras viraram um queijo suíço. Entra tudo aqui no país porque a PF não tem vigiado essas fronteiras".

Garisto, que já foi segurança do Papa João Paulo Segundo, de dois presidentes dos Estados Unidos e do príncipe Charles, disse que entregou ao ministro um dossiê sobre as deficiências de pessoal da PF nos mais de 8 mil quilômetros de fronteiras do Brasil.

"Eu estive na BV8, que é a fronteira do Brasil com a Venezuela. Ali só há dois agentes, novinhos, contratados há 28 dias, nem receberam salário ainda. Batem ponto das oito ao meio dia, depois até o fim da tarde. Depois disso, passa tudo pela fronteira. O ministro precisa cuidar dessa situação. Crime organizado se combate vigiando fronteiras, não esperando que ele chegue nas grandes capitais", diz Garisto.

Revista Consultor Jurídico, 12 de novembro de 2003, 18h35

Comentários de leitores

4 comentários

Venho acompanhando as entrevistas e textos do D...

Rose Carlos de Araujo ()

Venho acompanhando as entrevistas e textos do Dr.Garisto, tanto no Consultor Jurídico como na Revista Caros Amigos, e mesmo sem conhecê-lo pessoalmente posso dizer que sou seu admirador pela coragem que tem de apontar os problemas e principalmente pela capacidade de apresentar soluções. Essa denúncia das fronteiras do Brasil é uma grande revelação e mostra porque as grandes capitais doBrasilestão um caos. Operações policiais com mídias e holofotes todos querem , mas nas fronteiras estão dois garotos novos da Polícia Federal e nada mais. Acredito que ocorra isso em todas as fronteiras do Brasil e o Dr Garisto mostra o porque da situação caótica da segurança pública no Brasil. Polícia se faz primeiro nas fronteiras e nas estradas.Concordo com o Dr.Garisto

E precisa ser feito qualquer comentário?

Antonio Fernandes Neto (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

E precisa ser feito qualquer comentário?

Depois dessa comunicação oficial do sr. Garisto...

Luís Eduardo (Advogado Autônomo)

Depois dessa comunicação oficial do sr. Garisto, o que será que o Ministro Márcio Thomaz irá fazer? O povo quer atitudes sérias e efetivas na sua defesa e na do país.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 20/11/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.