Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Hora da recompensa

TJ mineiro ganha prêmio por redução de consumo de energia

Por ter superado as metas de economia de energia, durante o período do racionamento, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais ganhou um prêmio da Cemig: material para a troca de toda a iluminação do terceiro andar do Fórum Lafayette, em Belo Horizonte.

O novo sistema de iluminação, que utiliza luminárias com refletores de alumínio, será mais eficaz e econômico. O material começou a chegar ao Fórum no dia 5 de novembro. "Somos considerados pela Cemig um caso de sucesso", disse Vital de Souza Figueiredo Filho, integrante da Comissão Coordenadora de Conservação de Energia do TJ-MG.

À época do racionamento, de julho de 2001 a março de 2002, a determinação do governo federal era de que os órgãos públicos economizassem 35% de energia elétrica. O Tribunal de Justiça mineiro, em todo o Estado, registrou uma economia total de 44%, durante os nove meses. No período, o TJ-MG economizou 3.948.196 kWh, o equivalente a R$700.664,14.

O prêmio contempla, a princípio, o Fórum Lafayette por se tratar do edifício de maior consumo de energia elétrica do TJ-MG em todo o Estado. Segundo Vital de Souza, porém, o Tribunal já está em contato com a Cemig para que a nova iluminação possa ser estendida, num futuro próximo, para outras unidades com consumo mensal superior a 5.000 kWh.

Entre essas unidades, estão os fóruns de Contagem, Juiz de Fora, Uberaba, Uberlândia, Governador Valadares e Teófilo Otoni, além dos outros andares do Fórum Lafayette. Hoje, passado o racionamento, as medidas de redução do consumo de energia continuam sendo implementadas, nas unidades do TJ-MG, pelas Comissões Internas de Conservação de Energia.

Nomeado presidente da Comissão Interna de Economia de Energia (CIEE), do Fórum Lafayette, à época do racionamento, Éder Roberto Gomes, escrivão da 5ª Vara Cível, lembra que as metas estipuladas pelo governo foram superadas com folga no edifício.

"Nossa meta diária, para janeiro de 2002, era de 4.013 kWh, e atingimos 3.509 kWh", recorda-se. Segundo ele, a Cemig está doando R$ 71.935,14 em luminárias e equipamentos eletrônicos inteligentes, a serem instalados no terceiro andar do edifício. (TJ-MG)

Revista Consultor Jurídico, 11 de novembro de 2003, 15h22

Comentários de leitores

1 comentário

Que interessante essa matéria!

Rodolfo Hazelman Cunha ()

Que interessante essa matéria!

Comentários encerrados em 19/11/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.