Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Clóvis Sahione 2

Causou-me enorme espanto e até certa admiração a odiosa reação do nobre advogado que em artigo publicado no Consultor Jurídico expressou sua admiração por Clóvis Sahione.

Confesso que muito aprendi ao ler seu texto, quer seja pelas palavras bem utilizadas, quer seja pela incrível capacidade de fazer a defesa de Sahione tão bem.

Talvez eu fale sem conhecimento de causa, visto que colei grau há alguns meses somente. E ainda não tive a "chance" de dizer a um cliente sobre o que ele deve mentir perante um juiz.

É verdade que comungo de um ponto: o Estado é o maior bandido. Quer seja não pagando suas dívidas -- mas cobrando-as muito bem --, quer seja criando possibilidades a bancos de lucrarem absurdos em nosso país.

Comungo ainda da idéia de que o advogado que se presta a defender uma financeira (ainda que dentro dos diplomas legais) não deve ser visto como arauto da Justiça.

Acredito que um advogado criminalista ao se deparar num caso em que seu cliente é manifestamente culpado este deve lutar por uma justa pena, mas não por querer provar sua inocência, mesmo porque esta não existe.

E se fizer isso, estará fazendo como Sahione: mentindo. O artigo ainda tece comentários acerca de traficantes. Qual a diferença entre um traficante e uma pessoa que rouba dinheiro público?

Talvez seja que o traficante tem a possibilidade de ver quem está morrendo, ao contrário do fiscal corrupto que mata milhares a mingua (por isso ele é menos bandido?).

Coaduno ainda do posicionamento que a Rede Globo não possui moral para poder corrigir o mais devasso dos criminosos. Acredito que este meio de comunicação -- através de suas novelas -- passa deturpadas lições a milhões de jovens, que num futuro próximo estarão a frente do país. Violência, adultério e por aí vai a lista das lições fornecidas pela Globo. Todavia, feliz ou infelizmente a dita (maldita?) emissora captou o pedido de Sahione para que seu cliente faltasse com a verdade.

É bem verdade que o cidadão que se depara com a possibilidade de ir para o cárcere é capaz de mentir, fugir e até matar. Mas não consigo admitir que uma pessoa que promete defender a Justiça (e não a lei) deva ser defendida como um pobre "bode expiatório".

Pode ser que daqui a dez, vinte ou 25 anos eu esteja pensando como Félix Soibelman, mas por enquanto eu estou vivendo uma utopia. Ainda acredito que o advogado pode transformar a sociedade.

Victor Soares

Leia o artigo citado pelo leitor

10/7/03 - Caso Sahione

Inviolabilidade foi enxovalhada pela Ordem do Rio

Revista Consultor Jurídico, 11 de julho de 2003, 13h26

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 19/07/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.