Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Sob suspeita

Ex-juiz acusado de estelionato será interrogado no Rio

O ex-juiz e ex-promotor de justiça Rodrigo Alexandre de Paula Moreira Duarte e de seu amigo, Sérgio Agostinho Prince Gladier, serão interrogados nesta terça-feira (9/12). Na semana passada, o juiz Alcides da Fonseca Neto, da 11ª Vara Criminal do Rio de Janeiro, decretou a prisão preventiva dos acusados de criar uma falsa seita religiosa e apropriar-se dos bens de cinco seguidoras.

Duarte e Gladier foram denunciados por cinco estelionatos e falsidade ideológica. Segundo o juiz Alcides Fonseca Neto, a prisão dos dois é necessária porque as vítimas disseram estar temerosas e uma delas chegou a afirmar que foi ameaçada por eles. "Verificamos a real necessidade da decretação de suas custódias cautelares, fundamentada na conveniência da instrução criminal", declarou.

Segundo a denúncia, o golpe da seita começou em 1994. Rodrigo e Sérgio, que se intitulava guru, se aproximavam das mulheres, as levavam para a seita e as induziam a doar todos os seus bens para alcançar uma vida melhor. Eles também faziam as vítimas abandonarem suas famílias e participarem de rituais com ingestão de chás de raízes e ervas. Para o Ministério Público, as novas regras de conduta causavam transtorno de personalidade nas vítimas.

Duarte era juiz e há um ano pediu exoneração, horas antes de uma sessão do Conselho da Magistratura do TJ do Rio de Janeiro, onde sua situação funcional seria analisada. Na ocasião, ele era acusado de uso indevido da carteira de magistrado. (TJ-RJ)

Revista Consultor Jurídico, 9 de dezembro de 2003, 11h32

Comentários de leitores

5 comentários

Mais um exemplo a calar a boca daqueles que diz...

Antonio Fernandes Neto (Advogado Associado a Escritório - Empresarial)

Mais um exemplo a calar a boca daqueles que dizem que o que leva o individuo ao crime é a desigualdade social, a pobreza, o viver na periferia!!! Como disse outro dia um comentador de outro texto deste Conjur, aquele "di menor" homicida, pobre coitado que não teve como conseguir na vida o que vê na televisão, será acusado por um promotor e julgado por um Juíz que sempre tiveram tudo na vida. Digo eu: Aí está. Um ex-juíz e ex-promotor, que talvez tenha tudo na vida, por isso conseguiu ascender aos cargos que ocupava (como disse aquele comentador citado), será julgado por um JUIZ que talvez tenha lutado muito para ocupar o cargo público. Nessas listas apresentadas nos comentários, CABEM SER COLOCADOS OS DIRIGENTES DO PARTIDO DOS TRABALHADORES - principalmente o presidente de sua seção de São Paulo - QUE NÃO QUEREM O PROSSEGUIMENTO DAS INVESTIGAÇÕES DO HOMICIDIO DO PREFEITO CELSO DANIEL (PT), porque um dos mandantes já conhecidos do crime, "é do partido" e COMANDAVA A CORRUPÇÃO NA PREFEITURA DE SANTO ANDRÉ.

Caro Leandro Martins... Tem mais... Jango...

Maria Lima Maciel ()

Caro Leandro Martins... Tem mais... Jango Goulart, que tinha terras no Paraguai, identificadas no mapa - era proibido de ter mais, segundo as leis paraguaias; Jânio Quadros, que possuía quintas e vilas em Portugal, imensa fortuna, pela qual os herdeiros brigaram, por bom tempo - é preciso ter uma ocupação, afinal Os acima mencionados eram paupérrimos, ANTES de serem eleitos...Marta, nossa prefeita, gatuna do dinheiro destinado à Educação, para financiar sua campanha para reeleição; Montoro, que, quando governador, comprou, com dinheiro público, um quarteirão dos Jardins, para o filho - negócio que veio por água abaixo, me parece; Requião, falastrão, emprega a família inteira no governo do Paraná, após dardejar contra os inimigos, pela mesma razão; ACM, "dono" do Nordeste e dos nordestinos; Benedita, a peregrina; João de Deus, o (eso)lotérico; Banestado, o Banco do Estado do Paraná, a inaudita cadeia de corrupção, desde 1987 do conhecimento de todos, e a União nada fez para segurar o dinheiro no Brasil (pra quê?); Comind, e sua liquidação (literalmente, liquidação dos sonhos dos pobres aplicadores) extrajudicial, de cuja massa falida Quércia adquiriu bens a preço de banana, levando a fome às casas e famílias dos crédulos, infelizes, credores. É preciso haver manifestação, nas ruas, protestos, cobranças, NÃO à corrupção. TODAS as pessoas, de todos os níveis sociais, estão convivendo com a corrupção, como se fora normal não se ter moral. A corrupção grassa, solta, em nosso pobre e amado País, em cada recanto, re(partição), cartório, guichê, mandado de citação ( "quando" não cumprido no prazo...), zeladores de prédios... pedreiros que compram material a mais, levam pra si... Ela está ao nosso lado, conosco; cabe-nos repudiar, com toda nossa capacidade para fazê-lo, cada demonstração de corrupção a que assistirmos, ou de que queiram que façamos parte. Vamos lutar. Novos dias virão. Tudo pode, deve, e vai MUDAR. Saudações, Maria Lima Maciel

Que pena. Capazes de ocuparem o cargo eles demo...

Paulo Trevisani (Advogado Assalariado - Previdenciária)

Que pena. Capazes de ocuparem o cargo eles demonstraram ser, só não possuem o outro requisito para o desempenho do nobre mister: REPUTAÇÃO ILIBADA. O melhor remédio, apos o devido processo legal é a exoneração a BEM DO SERVIÇO PUBLICO, sem nenhum benefício, ou disponibilidade ou aposentadoria proporcional, rua..., como fizeram recentemente com outro magistrado, aliás, o primeiro caso no Brasil.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 17/12/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.