Consultor Jurídico

Metas definidas

Procuradora do Trabalho quer combater irregularidades com o TST

A nova procuradora-geral do Trabalho, Sandra Lia Simon, fez uma visita de cortesia ao Tribunal Superior do Trabalho, nesta terça-feira (26/8). Sandra Lia, que é a primeira mulher a assumir a Procuradoria-Geral do Trabalho, foi recebida pelo presidente em exercício, ministro Vantuil Abdala, e pelos demais ministros.

Ela informou que pretende trabalhar em sintonia com o Judiciário Trabalhista no combate às irregularidades que permeiam as relações trabalhistas, como o trabalho escravo, trabalho infantil e cooperativas fraudulentas.

Depois da visita aos ministros, Sandra Lia concedeu a seguinte entrevista:

Qual a expectativa da senhora para sua gestão à frente do Ministério Público do Trabalho?

Nesses dois anos de mandato, nossa intenção é privilegiar a

atuação desse órgão, dando mais destaque às cooperativas

fraudulentas, ao combate ao trabalho escravo, ao trabalho infantil,

enfim, as grandes irregularidades trabalhistas.

Em relação ao Tribunal Superior do Trabalho, em que aspectos a Procuradoria-Geral do Trabalho pode trabalhar junto, ou aprimorar o

intercâmbio?

O Ministério Público do Trabalho tem como ponto de honra, esses

dois anos de minha administração, manter um contato muito estreito com o Judiciário Trabalhista, tanto na realização de eventos conjuntos entre procuradores e juizes, como na discussão e solução desses assuntos que permeiam as irregularidade das relações de trabalho.

Como a senhora analisa o avanço da participação da mulher no

Ministério Público do Trabalho, o fato de a senhora ter chegado a esse

cargo?

É muito expressivo hoje o número de mulheres nas carreiras

jurídicas. O fato de as mulheres alcançarem os cargos de direção é

uma questão de tempo e decorrência do trabalho desenvolvido. Eu fui

eleita, encabecei uma lista tríplice e fui a mais votada, certamente

tive votos de muitos colegas homens. Então, isso é uma decorrência do trabalho que venho desenvolvendo e, para mim é uma honra muito grande ser a primeira mulher procuradora-geral do Trabalho. (TST)




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 26 de agosto de 2003, 13h50

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 03/09/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.