Consultor Jurídico

Vade Mecum

TV Justiça trata do lado podre do jornalismo brasileiro

O programa Vade Mecum deste fim de semana mostrará os principais problemas que causam o desemprego no país. Na "Reportagem especial", a Procuradoria-Geral da República analisará como o governo está combatendo a pirataria.

No quadro "Agenda", o telespectador acompanhará o esforço do Ministério Público para que os pais assumam as crianças geradas e reconheçam a paternidade. A reportagem mostrará os locais de mutirões no Distrito Federal e como outras localidades brasileiras podem se integrar nessa campanha.

O quadro "Cultura" tratará da fé dos advogados católicos que fizeram uma romaria à Aparecida do Norte para agradecer a Padroeira do Brasil pela passagem do Dia dos Advogados, 11 de agosto.

Bastidores

No "Et cetera", a jornalista Tuca Ivanicska entrevistará o diretor de redação do site Consultor Jurídico, Márcio Chaer. Ele falará da face podre do jornalismo: casos de jornalistas que recebem subornos, pagamentos regulares de autoridades ou que têm emprego no mesmo local em que fazem cobertura jornalística.

Entre os casos narrados, o diretor de redação do site conta que a revista Veja deixou de publicar notícia sobre os pagamentos que o ex-presidente Fernando Collor, ainda como governador, fazia aos jornalistas credenciados no palácio do governo e no Legislativo.

Na área privada, Chaer revela as facilidades que empresas oferecem a jornalistas e donos de jornal na expectativa de garantirem sua boa imagem na imprensa. Um exemplo citado é o das montadoras que "emprestam" lançamentos para serem "testados" por diretores de redação e os descontos para jornalistas na compra de veículos.

O programa vai ao ar no sábado, às 20h. No domingo, é reprisado às 3h, 12h e 20h e na segunda-feira, às 3h. O Vade Mecum pode ser assistido pela TV Justiça, pelo site da TV Justiça ou pelo superig.

Clique aqui para saber o canal da TV Justiça do seu Estado.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de agosto de 2003, 13h41

Comentários de leitores

2 comentários

Essa reportagem da TV Justiça, nos mostra clara...

José Elias dos Santos Pinheiro ()

Essa reportagem da TV Justiça, nos mostra claramente que o problema desse País chama-se corrupção, tão ou mais importante que um programa fome zero seria o Corrupção Zero. Nós brasileiros não podemos admitir, nem mesmo essa chamada minoria corrupta nas nossa Instituições. Vamos pôr um fim nesse discurso pretensamente correto de conclamarmos a maioria que age corretamente...ora pelo amor de deus, temos sim que erradicar, expulsar ou mesmo prender a chamada banda podre, seja ela da Polícia, do Senado, do Judiciário, do Jornalismo, da Câmara... seja de onde for. José Elias.

Como de regra, são os próprios organismos e Ins...

Paulo Calmon Nogueira da Gama (Procurador de Justiça de 2ª. Instância)

Como de regra, são os próprios organismos e Instituições quem se incumbem de se amesquinhar e se desmerecer... Vantagens ou favores imediatos e efêmeros, quando não combatidos vigorosa e primeiramente por mecanismos de controle interno, sõa hábeis a descredenciar e contagiar todo o setor (no caso a Imprensa) de um País! E isso está acontecendo aqui (veja-se o apelo populista que se dá à satanização do servidor público, cujos contratos de trabalho com o Estado, feito após concurso público, podem ser descumpridos, já que eles - e não os sucessivos administradores de ocasião, incompetentes e/ou desonestos - seriam os responsáveis pelas mazelas do País...). Jornalistas de bem: reajam! Façam por onde! Mostrem que são a maioria e que detêm a competência e a criatividade se diz invejada no mundo todo!

Comentários encerrados em 30/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.