Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Apoio garantido

Subordinados de ministro repudiam acusação de assédio sexual

Os servidores do gabinete do ministro do Superior Tribunal de Justiça, Paulo Medina, repudiam a acusação de assédio sexual feita por Glória Maria Pádua Ribeiro Portella, filha do ministro Antônio de Pádua Ribeiro.

Eles elaboraram uma nota de desagravo e encaminharam para todos os servidores da Corte. "O ministro Paulo Medina sempre demonstra respeito e consideração para com todos os servidores deste Gabinete, sem qualquer distinção. É pessoa da mais alta educação e formação jurídica, cívica e moral", afirma a nota.

"Temos contato diário com o ministro e sabemos que tais acusações não têm qualquer identificação com a realidade", ressaltaram.

Leia a íntegra do desagravo

Aos colegas servidores do Superior Tribunal de Justiça,

Nós, integrantes do Gabinete do Ministro Paulo Medina, desejamos expressar nossa indignação contra as aleivosias dirigidas ao Exmo. Sr. Ministro Paulo Geraldo de Oliveira Medina, por ex-integrante deste Gabinete.

Temos contato diário com o Ministro e sabemos que tais acusações não têm qualquer identificação com a realidade.

O Ministro Paulo Medina sempre demonstra respeito e consideração para com todos os servidores deste Gabinete, sem qualquer distinção. É pessoa da mais alta educação e formação jurídica, cívica e moral.

O ato praticado pela servidora, que denigre a imagem do Ministro, merece nosso integral repúdio, também porque transcende à pessoa do Ministro Paulo Medina e, assim, conspurca toda a Corte.

Muito obrigado pela sua atenção.

Revista Consultor Jurídico, 22 de agosto de 2003, 17h11

Comentários de leitores

4 comentários

Sempre acompanhei a brilhante carreira jurídica...

Daniel César Botto Collaço ()

Sempre acompanhei a brilhante carreira jurídica do Senhor Ministro Paulo Medina, o qual sempre primou pela honestidade, lisura e retidão. Foi excepcional presidente da AMB e da AMAGIS, sendo que toda a sua jornada foi marcada pelas recomendações e cautelas, na dificultosa vida jurisdicional. Não podemos nos deixar levar por notícias totalmente desconexas, carregadas de sentimentos nefastos os quais atingem a honrosa sociedade mineira, principalmente a mulher mineira, nas palavras vagas da acusadora. Há algo de estranho, com relação às declarações de "Glorinha", e não com a pessoa do Senhor Ministro Paulo Medina, o qual já deu prova suficiente, aos 61 anos de idade, de sua postura íntegra, indiscutível, e imaculada.O Senhor Ministro Paulo Medina merece sim, muito respeito e consideração por ser um dos maiores defensores dos direitos humanos e dos cidadãos, como conhecemos. A seriedade do caso impõe a necessidade de uma análise mais detalhada e a retrospectiva a respeito da vida da acusadora. Com certeza a verdade verdadeira virá a tona.

Continuo achando que a Queixa Crime deveria ter...

Busato (Defensor Público Estadual)

Continuo achando que a Queixa Crime deveria ter sido rejeitada. Acho que o Ministro Medina presta serviços de alta qualidade para a sociedade Brasileira e, não acho que o mesmo assediaria sua assessora, primeiramente em respeito a sua esposa e quatro filhos e segundamente em respeito ao seu colega Ministro, pai da Querelante e demais funcionários da casa (STJ). Temos que respeita-lo, afinal de contas desde 1968 ele exerce a magistratura com honestidade, se não fosse assim, teriamos visto ele envolvido em outros escandalos anteriormente, o que nunca aconteceu. O Supremo tem muito mais coisas para se preocupar, acho que em respeito a toga que todos usam,tanto do STJ e STF deveriam olhar para este caso com cuidado, eis que o que esta em jogo é a moral de um homem que decide sobre a vida de pessoas, e que por isso, tem que ter moral para tanto. De tudo isso, vejo que a única coisa realmente errada é o fato da querelante ter chamado as filhas do Estado das Minas erais de vagabundas, isso sim é sério.

Quem conhece os bastidores do poder em Brasilia...

Wolf (Jornalista)

Quem conhece os bastidores do poder em Brasilia sabe que isso ocorre em muitos gabinetes. Tomar uma decisao de levar esse assunto a publico é algo de grande coragem porque expoe o suposto "galanteador" mas também a "vitima", sua familia, amigos, e pode até prejudicar sua carreira profissional. Com certeza, deve ser muito bem apurado, isentos dessas manifestacoes de agravos e desagravos, julgamentos prematuros ou tentativas de minimizar ou aumentar os fatos. Mas que o poder sobre à cabeça, ah, sobe sim! Alguém se lembra do Ministro Correia e o episodio dos pezinhos sob a mesa com a Zelia? E aquele do...deixa prá lá!

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 30/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.