Consultor Jurídico

Pérolas Processuais

Pérolas Processuais: o de cujus está nos céus ou nos purgatórios.

Num processo em Santo André-SP, após o requerimento, feito por advogado, de citação pessoal do de cujus, sobreveio o seguinte despacho: "Venha, em 48 horas improrrogáveis, nova, correta e definitiva emenda à inicial, eis que, o de cujus encontra-se nos céus ou nos purgatórios, ou ainda nos infernos, não dispondo o Juízo de dons mediúnicos para convocá-lo à resposta".

"Sobre os acusados, pode informar que profissionalmente Nicolau era uma pessoa normal, sendo que a sua privada não era do conhecimento do depoente." (Do depoimento de uma testemunha de defesa do juiz Nicolau dos Santos Neto, volume 33, fls. 8393 - tendo ocorrido erro do serventuário, em suprimir uma palavra na digitação).

"A empresa é responsável em casos de assaltos dentro de seus coletivos, pois deveriam ter câmeras acopladas a satélites para a segurança de passageiros." (De um voto vencido, em acórdão do TJRJ).

"Portanto, dentre outras tantas, comprovada mais uma irregularidade no presente processo, que tramita mais rápido que um 'fórmula 1', necessitando de um 'pit stop', para que sejam sanadas e regularizadas, todas as irregularidades aqui narradas e comprovadas." (De uma petição, em processo que tramita na comarca de Rio Grande, RS).

Extraído de laudo de perito judicial, em processo numa Vara Cível de Porto Alegre, descrevendo uma edificação: ".... um barracão com pé direito de 5 metros e pé esquerdo de 4 metros ...."

Descrição da penhora feita por um oficial de Justiça de Porto Alegre: "... um crucifixo, em madeira, estilo colonial, marca INRI - sem número de série..."

* Pérolas Processuais são publicadas no site Espaço Vital -- www.espacovital.com.br




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 22 de agosto de 2003, 17h04

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.