Consultor Jurídico

Contas abertas

CPI aprova quebra de sigilo bancário e fiscal da Serasa

De acordo com o boletim da liderança do PT na Câmara dos Deputados, a CPI da Serasa aprovou nesta quarta-feira (13/8) a quebra de sigilo bancário e fiscal da empresa. Segundo o presidente da CPI, Giacobo (PL-PR), autor do pedido, há indícios de irregularidades suficientes que justificam a quebra dos sigilos.

O acesso às contas bancárias e às declarações de renda vai permitir que os deputados verifiquem o faturamento da Serasa, os tributos que são recolhidos e se a empresa está com a contabilidade em dia.

O deputado Luiz Alberto (PT-BA) destacou que a CPI já aprovou requerimento de sua autoria para que a Serasa encaminhe à comissão as cinco últimas declarações do Imposto de Renda. "Somente com acesso a essas informações é que poderemos verificar de forma precisa as denúncias de faturamento sem controle, de sonegação fiscal e de venda irregular de informações", afirmou.

A CPI aprovou também a criação de três sub-relatorias para agilizar o trabalho da comissão. Uma delas ficará encarregada de analisar possível sonegação e evasão fiscal por parte da Serasa, a segunda vai verificar a legalidade das atividades da empresa e a outra analisará os procedimentos usados pela Serasa para processamento dos dados.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 13 de agosto de 2003, 22h03

Comentários de leitores

2 comentários

QUADRILHA SERASA (PROPRIDADE DE 83 BANCOS PRIVA...

Edilson Galdino Vilela de Souza ()

QUADRILHA SERASA (PROPRIDADE DE 83 BANCOS PRIVADOS E INTEGRADA POR MAIS DE 560 MIL EMPRESAS PÚBLICAS E PRIVADAS, AUTORIDADES FEDERAIS E ENTES PÚBLICOS FEDERAIS) A Nação brasileira está sendo, literalmente, comandada desde o ano de 1968 pela QUADRILHA SERASA com ramificações internacionais, aprimorada nos últimos dez (10) anos com a participação pessoal ativa do Ex-Presidente e Ex-vice-Presidente da República: Doutor Fernando Henrique Cardoso e Doutor Marco Maciel. Agentes públicos federais lotados nos Órgãos SRF; DENATRAN; CASA DA MOEDA; autarquia BACEN; pessoas jurídicas CEF; BB; BNB e etc e representantes do fundo contábil FAT gerido pelo CODEFAT têm participação direta, intensa, coesa e articulada na QUADRILHA SERASA; mais de 560 mil empresas privadas e públicas exercem a condição de agraciar alguém com o superpoder de punir pessoas sem causa, explicação ou título por só conveniência (vingança, perversidade, perseguição, extorsão e etc.) basta vincular-se a uma das empresas integrantes da QUADRILHA e decidir pagar o preço para punir quem for escolhido em mostruário exibido na Internet no site: http://www.serasa.com.br atualizado diariamente pela SRF. Esta quadrilha tem receita mensal superior a 50 bilhões de reais. Valor arrecadado através de NOTAS FISCAIS FRIAS, sem registro, fiscalização e controle. Este valor está isento do IR; ICMS e ISS.

O BC fornece rótulos - nomes atribuídos a regis...

Edilson Galdino Vilela de Souza ()

O BC fornece rótulos - nomes atribuídos a registros falsos executados por anônimos diretamente no banco de dados da Serasa - do tipo: CR- impedido de crédito rural pelo BACEN, in Escritura Pública n 44455; CH-CHEQUE e CQ-CH-PREDATADO, in Escritura Públicas 43208, ambas arquivadas no 7º Ofício de Curitiba e etc. em nome da vítima escolhida - pessoa física ou jurídica - constante em mostruário permanente fornecido e atualizado diariamente pela SRF no site: serasa.com.br Ex. de dados pessoais fornecidos pela SRF sob comando de Everardo Maciel e comprados da Serasa: FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, CPF: 062446028-20, grafia FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, Data Nasc. 18 06 1931, Mãe NAYDE SILVA CARDOSO, Sexo (M/F) M, Estado Civil CASADO Escolaridade 3 SUPERIOR COM, Carteira de Trabalho 9999 Número 0000099, Fone Residencial 0011 8266340, Ender R MARINHO 1019 14 AND, Bairro HIGIENOPOLIS, Cidade SÃO PAULO, UF SP, CEP 01240 000, Ocupação 4 FUC PUB Empresa PRESIDENCIA DA REPÚBLICA, Desde 01 1995. in Escritura Pública n. 043218 do Livro 0002-A, arquivada no Cartório do 7º Ofício de Curitiba,

Comentários encerrados em 21/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.