Consultor Jurídico

Preço do trocadilho

Jornal O Dia é condenado a indenizar filha de Jorginho Guinle

Por 

O jornal O Dia foi condenado a indenizar a socialite Georgiana Salles Pinto Guinle -- filha do "eterno playboy" Jorginho Guinle -- por danos morais em R$ 45 mil corrigidos desde 1997. A decisão unânime é da 3ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, que manteve sentença de primeiro grau na semana passada. O jornal ainda pode recorrer.

Ela entrou na Justiça por causa da notícia intitulada "A socialite carioca Georgiana Guinle trocou o orgasmo sexual pelo orgasmo bíblico". A reportagem foi sobre a conversão religiosa da socialite, que acabava de ser batizada na piscina do Copacabana Palace, em 1996. A socialite se tornou evangélica.

Georgiana foi representada pelo advogado Nehemias Gueiros Júnior, do escritório Tostes, Schver & Associados. Segundo o advogado, os valores atualizados chegam a R$ 80 mil aproximadamente. Ele informou à revista Consultor Jurídico que vai recorrer da decisão para majorar o valor da indenização por danos morais.

A entrevista sobre a conversão foi feita na casa da socialite, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Foram tiradas mais de 30 fotos de Georgiana "segurando a Bíblia e vestida de forma recatada". Nehemias Gueiros afirma que a socialite foi surpreendida quando viu fotomontagem sua seminua e a notícia do jornal que pretendia mostrar "hábitos mundanos e sexualmente condenáveis".

A ação foi impetrada em junho de 1997. A 34ª Vara Cível do Rio de Janeiro entendeu que houve danos morais. A sentença foi confirmada pelo TJ do Rio de Janeiro.

Processo no 2003.001.10863




Topo da página

 é editora da revista Consultor Jurídico e colunista da revista Exame PME.

Revista Consultor Jurídico, 11 de agosto de 2003, 17h17

Comentários de leitores

2 comentários

Pois é, e depois dizem que não há perseguição c...

Eduardo Machado ()

Pois é, e depois dizem que não há perseguição contra os Evangélicos no Brasil. Sou advogado de uma Igreja Evangélica e após alí iniciar meus trabalhos pude melhor analisar e entender os fatos. Quando o "Rambo", aquele PM assassino, que não representa a classe, e nem era evangélico, disse na Veja, que diga-se de passagem tentou comprar a TV Record (e teve uns evangélicos aí que chegaram primeiro) que o era, pronto, como num passe de mágica saiu na parte baixa da primeira capa de uma das edições sobre a matéria a "religião" do cidadão. EVANGÉLICO. Nunca vi isso. Nunca tinha visto antes. Nem sei se verei um dia, espero que não, fulano de tal... Católico. Espírita. Budista. Imagine se todo bandido famoso for falar sua religião. No que vai dar? Não é por nada não, me desculpem a ignorância, mas o que isso tem a ver? Prá que falar só do Evangélico? E só quando a notícia é podre? Quando o Mike Tyson faliu, ninguém falou nada, inclusive se o famoso lutador tivesse se convertido numa dessas Igrejas Evangélicas será que alguém iria insinuar algo como: pastor ladrão, tiraram dinheiro dele e blá, blá, blá? Será que o Islamismo tirou dinheiro dele? Acredito que não. Mas ninguém falou nada. Estranho. Quando o Kaká, que é Evangélico, faz aquele golaço dizem por acaso: EVANGÉLICO. Quando esta Socialite da matéria se enchia de drogas (portanto alimentava o tráfico no RJ) e orgias, ninguém falava nada. O Dia nada disse. Foi se converter e foram encher o saco da moça. Será que quem escreveu a matéria usaria o mesmo peso e medida para a própria filha? Qual o mal de ser converter a uma religião que te afasta das drogas, más companias, miséria e tudo de podre? Ah! Então é o céu? Tudo fica perfeito? Não, mas fica pelo menos melhor do que estava. Tenho visto com os próprios olhos. E a ligação da Igreja Universal com os traficantes da Colômbia, onde está a condenação? Estou defendendo os evangélicos? Longe disso, existem pastores evangélicos com P maiúsculo e com p minúsculo, como em todas as áreas. Mas que a imprensa comete perseguições, isso comete. Será coincidência que a maioria dos países de 1º mundo são predominantemente protestantes? Px: EUA, Alemanha, Inglaterra, Suíça. O que quero dizer com isso? Nada. Pense você mesmo. Me deixe fora disso. Como disse o outro: "A imprensa é muito perigosa, ela possue a última palavra." Que o diga os ex-proprietários da Escola Base. Ainda bem que temos o Judiciário. Um abraço a todos.

Qualquer ofensa deve ser retratada ou reparada ...

Emir Braz ()

Qualquer ofensa deve ser retratada ou reparada mesmo que seja com dinheiro, apesar de não devolver o status quo. Os jornais brasileiros têm a mania de produzir matérias sem preoculpação com a realidade, somente pensando na resposta do público com as compras de seus exemplaraes. A lei de imprensa está na forma faz muito tempo. Isso atrapalha tudo e deixa muito à vontade os editores irresponsáveis. Deveria pagar muito dinheiro, para assim fazer existir o medo de publicar inverdades. Por falar em inverdades, quase sempre a verdade não é publicada na imprensa brasileira. Diga-se de passagem o dono do Diário da União (Roberto Marinho) que só publicou aquilo que o governo queria e virou um falso Deus... Criminoso como todos da imprensa, hoje elevado a heroi nacional. Deve estar pagando pelos crimes cometidos por vontade de Deus, e não minha.

Comentários encerrados em 19/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.