Consultor Jurídico

Ponta do lápis

TJ mineiro reedita manual de relacionamento com a mídia

A Assessoria de Comunicação Institucional do Tribunal de Justiça de Minas Gerais acaba de reeditar o manual de "Relacionamento com os Meios de Comunicação", agora, também em versão de bolso. O objetivo do manual é mostrar aos integrantes do TJ mineiro como pode ser construído um bom relacionamento com os jornalistas e oportunidades de posicionamento do Judiciário na mídia.

O manual mostra a necessidade de retornar sempre as ligações dos jornalistas, evitar o uso de jargões e termos técnicos quando possível; ser objetivo e didático ao conceder a entrevista, dentre outras dicas. Também são abordadas as especificidades dos veículos de comunicação, rádio, jornal impresso, tv e mídia on line, bem como os diferentes tipos de entrevistas (coletivas, por telefone).

Cuidados especiais com a imagem em caso de entrevista para TV, a diferença entre dado e informação, entre off e on, a rotina "atribulada" dos profissionais de Imprensa são enfocados.

O manual será distribuído, na próxima terça-feira (12/8) para os 28 juízes recém-empossados no Judiciário de Minas. Nesse dia, será debatido o tema "O Juiz e a Mídia", com a participação do superintendente de Comunicação do TJ-MG, desembargador Sérgio Braga, e do professor Vicente Riccio, doutor em Sociologia do Direito. (TJ-MG)




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 8 de agosto de 2003, 13h25

Comentários de leitores

1 comentário

Muito boa a iniciativa do TJMG. Espero outras i...

Claudio (Advogado Autônomo)

Muito boa a iniciativa do TJMG. Espero outras iniciativas da espécie. A comunicação do Direito deve ser estudada e examinada como Direito à informação. A democracia pressupõe que o povo seja o depositário sacrado das Leis ( e do Direito) ( conf. Beccaria). O judiciário tem o dever de informar, em linguagem simples, clara e inteligível para a maioria da população. Os meios de comunicação de massa, por sua vez, devem acompanhar o judicíario, com mais intensidade. Afinal é a função do podere estatal mais próxima do Povo. Exercido e provocado diretamente pelo cidadão. No regime democrático é imprescincível o direito do povo a informação e o dever de qualquer autoridade de informar. Congratulo o TJMF. Mas, realço que temos muito trabalho para convencer as autoridades, também no judiciário, e os meios de comunicação da importância para o Estado Democrático de Direito da informação e da comunicação do Direito. Claudio Marks Machado advogado

Comentários encerrados em 16/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.