Consultor Jurídico

Combate oficial

Governo cria comissão de erradicação do trabalho escravo

O governo federal criou a Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo (Conatrae). O presidente do Tribunal Superior do Trabalho, ministro Francisco Fausto, considerou positiva a atitude e disse estar confiante de que os direitos assegurados pela CLT passarão a valer para os trabalhadores vítimas hoje dessa exploração. "Isso deverá fazer com a Consolidação das Leis do Trabalho seja respeitada em áreas onde a utilização do trabalho escravo é freqüente", afirmou.

Francisco Fausto enfatizou que a comissão gera expectativa otimista de que "haverá de fato um movimento coordenado pelo governo federal para dar prosseguimento às ações para acabar com a prática criminosa".

De acordo com decreto publicado nesta sexta-feira (1º/8) no Diário Oficial da União, o Conatrae, vinculado à Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, acompanhará a tramitação de projetos de lei relacionados com o combate e a erradicação do trabalho escravo, fará avaliação dos projetos de cooperação técnica firmados entre o governo brasileiro e os organismos internacionais e elaborará estudos e pesquisas e incentivará campanhas relacionadas à questão.

Farão parte da comissão seis ministros, além de representantes da Polícia Federal e da Polícia Rodoviária Federal. As entidades não-governamentais terão nove representantes na Conatrae. "Isso é resultado de um grande trabalho de parceria entre o Ministério Público, a OAB (Ordem dos Advogados do Brasil), a OIT (Organização Internacional do Trabalho) e a Comissão Pastoral da Terra", destacou o presidente do TST. (TST)

Leia a íntegra decreto publicado no Diário Oficial da União:

Cria a Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo - Conatrae

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea "a", da Constituição, D E C R E T A:

Art. 1º Fica criada a Comissão Nacional de Erradicação do Trabalho Escravo - CONATRAE, vinculada à Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República.

Art. 2 Compete à CONATRAE:

I acompanhar o cumprimento das ações constantes do Plano Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo, propondo as adaptações que se fizerem necessárias;

II acompanhar a tramitação de projetos de lei relacionados com o combate e erradicação do trabalho escravo no Congresso Nacional, bem como propor atos normativos que se fizerem necessários à implementação do Plano de que trata o inciso I;

III acompanhar e avaliar os projetos de cooperação técnica firmados entre o Governo brasileiro e os organismos internacionais;

IV propor a elaboração de estudos e pesquisas e incentivar a realização de campanhas relacionadas à erradicação do trabalho escravo; e

V elaborar e aprovar seu regimento interno.

Art. 3º A CONATRAE será integrada:

I pelo Secretário Especial dos Direitos Humanos, que a presidirá; e

II pelos seguintes Ministros de Estado:

a) da Agricultura, Pecuária e Abastecimento;

b) da Defesa;

c) do Desenvolvimento Agrário;

d) do Meio Ambiente;

e) da Previdência Social; e

f) do Trabalho e Emprego;

III por dois representantes do Ministério da Justiça, sendo um do Departamento de Polícia Federal e outro do Departamento de Polícia Rodoviária Federal; e

IV por até nove representantes de entidades privadas não-governamentais, reconhecidas nacionalmente, e que possuam atividades relevantes relacionadas ao combate ao trabalho escravo.

§ 1º Os representantes de que tratam os incisos I a IV poderão ter substitutos por eles indicados.

§ 2º Poderão ser convidados a integrar a CONATRAE, na qualidade de observadores, representantes de instituições públicas ou privadas, que possuam notórias atividades no combate ao trabalho escravo.

§ 3º A CONATRAE terá um vice-presidente, eleito entre os representantes, mediante votação por maioria absoluta.

Art. 4º A participação dos membros na CONATRAE não será remunerada e seu exercício será considerado de relevante interesse público.

Art. 5º O regimento interno da CONATRAE disporá sobre seu funcionamento e será elaborado no prazo de sessenta dias, a contar de sua instalação.

Art. 6º A Secretaria Especial dos Direitos Humanos dará o apoio técnico, administrativo e financeiro necessário ao funcionamento da CONATRAE.

Art. 7º A CONATRAE terá a seguinte estrutura básica:

I Plenário; e

II Subcomissões Temáticas.

§ 1º O Plenário reunir-se-á bimestralmente, em caráter ordinário e, extraordinariamente, por convocação do seu Presidente ou por requerimento da maioria absoluta de seus membros.

§ 2º As Subcomissões Temáticas terão sua composição e organização previstas no regimento interno.

Art. 8º Fica criado Grupo Executivo de Trabalho, que deverá adotar as providências necessárias para a atuação integrada da fiscalização e repressão ao trabalho escravo, constituído pelos cretários-Executivos ou ocupante de cargo equivalente dos seguintes Ministérios:

I- da Defesa;

II - do Desenvolvimento Agrário;

III - da Justiça;

IV - do Meio Ambiente;

V - da Previdência Social; e

VI do Trabalho e Emprego.

Parágrafo único. O Grupo Executivo de Trabalho será coordenado pelo Secretário Especial Adjunto dos Direitos Humanos.

Art. 9º A primeira indicação dos representantes de que trata o art. 3 o será feita pelos titulares dos respectivos órgãos e entidades, no prazo máximo de vinte dias após a publicação deste Decreto.

Art. 10. A instalação da CONATRAE dar-se-á no prazo de quarenta e cinco dias a contar da data de publicação deste Decreto.

Art. 11. As deliberações da CONATRAE serão registradas em ata e publicadas no Diário Oficial da União.

Art. 12. Este Decreto entra em vigor na data de sua publicação.

Art. 13. Revogam-se os Decretos n os 1.538, de 27 de junho de 1995, e 1.982, de 14 de agosto de 1996.

Brasília, 31 de julho de 2003; 182 o da Independência e 115 o da República.

LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA

José Dirceu de Oliveira e Silva




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 1 de agosto de 2003, 12h59

Comentários de leitores

1 comentário

Prezado editor, parabenizo a iniciativa da mat...

Marilu Segatto Guimaraes ()

Prezado editor, parabenizo a iniciativa da materia e a criação do CONATRAE e aproveito o espaço para solicitar material atualizado sobre o trabalho escravo. Estou fazendo uma monografia sobre esse tema e gostaria de entrar em contato com entidades e pessoas comprometidas com a materia e que tenha dados atualizados e um "novo olhar" sobre o assunto. agradeço a atenção e aguardo retorno. Marilu Guimaraes

Comentários encerrados em 09/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.