Consultor Jurídico

Caso Banestado

Ex-governador do Paraná será investigado na CPI do Banestado

Nomes de 269 servidores públicos, 124 candidatos a prefeito e vereadores, 29 candidatos famosos na eleição de 2002 e dez políticos de "altíssimo coturno", como o ex-governador do Paraná Jayme Lerner. Essa é a lista de pessoas a serem investigadas pela CPI do Banestado que foi entregue aos senadores, em sessão secreta, pelo procurador da República Luiz Francisco Fernandes de Souza.

Em entrevista à revista Consultor Jurídico, Luiz Francisco contou mais detalhes das investigações.

Leia a entrevista:

Quais os alvos agora?

LF - Os representantes do PFL terão de dar explicações porque dos US$ 30 bilhões, mais de US$ 20 bilhões, muito mais do que isso, eu acredito, saíram de dois bancos controlados por pessoas ligadas ao PFL, no Banestado, na gestão do Jayme Lerner, e no Banco Araucária, que é um banco ligado ao círculo familiar do senador Bornhausen.

Mas o senador nega isso...

LF - O Araucária era um banco que pertencia ao irmão do senador Bornhausen e quatro ou cinco meses antes de todo o benefício esse banco foi transferido do irmão para três irmãos da esposa do irmão. Ou seja: Paulo Bornhausen é casado com Ivete Dalcanale, aí o banco sai das mãos do Paulo Konder Bornhausen e vai para três irmãos da esposa dele, três irmãos, então, da cunhada do senhor Jorge Konder Bornhausen. Esses dois bancos são os principais do esquema.

O que os senhores disseram nos depoimentos a portas fechadas?

LF - Nós fornecemos (os nomes) de 269 servidores, 124 candidatos a prefeito e vereadores, 29 candidatos famosos na eleição de 2002 e ainda fornecemos o nome de dez políticos de alto coturno, altíssimo corturno, que são de mais alta projeção.

Fale mais sobre Jayme Lerner...

LF - A participação do Banco Banestado na gestão de Jayme Lerner é fortíssima e eu acho que o sr. Jayme Lerner terá que dar explicação disso cedo ou tarde e eu espero que seja o mais rápido possível, explicações àquela CPI aqui de Brasília, a CPI mista, tal como na CPI do Banestado em Curitiba e eu espero também que o sr. Jorge Konder Bornhausen seja intimado a prestar sob juramento sobre aquelas fatos que envolvem ele.




Topo da página

Revista Consultor Jurídico, 1 de agosto de 2003, 10h08

Comentários de leitores

1 comentário

Teríamos que votar uma lei, que impedisse que o...

Francisco Vieira da Cruz Junior ()

Teríamos que votar uma lei, que impedisse que o partido que tivesse gente sob suspeita, nÄo pudesse participar da comissao da cpi.

Comentários encerrados em 09/08/2003.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.