Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Eleições na Fcesp

Processo elitoral da Fcesp favorece chapa da situação

O juiz Paulo Dimas de Bellis Mascaretti, da 7ª Vara Cível da Capital rejeitou o pedido de impugnação da chapa de Abram Sjazman, candidato à quinta reeleição como presidente da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fcesp).

A ação cautelar foi apresentada por Lázaro Antônio Infante, candidato oposicionista que alega irregularidades nos procedimentos de registro de chapas e protesta contra o fato de Abram Sjazman ser candidato e, também, o coordenador do processo eleitoral.

O juiz extinguiu a ação alegando que o autor "não tem interesse processual" na causa. Por entender que um candidato costuma ter interesse na eleição da qual participa, a chapa oposicionista já está recorrendo ao Tribunal de Justiça do Estado contra a decisão.

Entre as decisões contestadas de Abram Sjazman está a exclusão de candidatos da chapa oposicionista que, pelo estatuto da entidade, deveriam ser retirados também da chapa situacionista - já que os nomes haviam sido duplamente inscritos.

O candidato oposicionista pedia, ainda, a criação de uma Comissão Eleitoral Coordenadora e Julgadora do Pleito. A Comissão não é prevista pelo Estatuto da Fcesp, o que demonstra a parcialidade com que vem sendo tratada a chapa da situação.

Para o registro da chapa de oposição foram exigidos documentos que à chapa situacionista foram dispensados, como a comprovação de que os inscritos militam há mais de dois anos na atividade empresarial e pertencem aos sindicatos que representam.

Revista Consultor Jurídico, 14 de agosto de 1998, 0h00

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 22/08/1998.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.