Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Conquista de clientes

Pesquisa ajuda a identificar rede social mais apropriada para os escritórios

Por 

Discordâncias à parte, a melhor moqueca de peixe é feita com surubim — pintado, no Sul e Sudeste. Qualquer bom pescador sabe onde pode pescar surubins. Para quem não é pescador, existe a internet, sempre com boas informações: o melhor lugar para pescar surubim é o rio São Francisco, em áreas de remanso de seu leito rochoso. O melhor horário para pescar é a noite, quando esses "predadores" saem para "caçar" peixinhos para comer. Para o pescador, a moqueca sai quase de graça.

Fazer marketing para conquistar clientes também pode sair quase de graça, se o advogado souber quais clientes quer conquistar — ou o seu público-alvo — e onde eles estão. Mas não é preciso ser um especialista para saber onde eles estão. É possível descobrir isso na internet: levantamentos indicam que eles estão... na internet. E 80% de todas as pessoas no mundo com acesso à internet podem ser encontradas nas redes sociais. Nada mais em conta. Nada menos trabalhoso, em termos de marketing.

Redes sociais podem ajudar advogado a conquistar clientes.
123RF

Porém, com a proliferação de redes sociais nos últimos anos, fica mais difícil para o advogado determinar a qual delas deve dar prioridade, se quiser atingir as pessoas certas, no lugar certo, nas horas certas. Mas uma pesquisa do Google e da Nielsen trouxe alguns dados demográficos que jogam uma luz sobre essa questão.

Embora os dados da pesquisa, publicada pelo Rainmaker Institute e pelo The National Law Review, não sejam tão abrangentes, eles já dão algumas informações úteis para o advogado que está tentando descobrir em que mídia social deve concentrar seus esforços de marketing.

O ponto é: para o profissional, melhor que ter milhares (ou milhões) de seguidores nas redes sociais, como se fosse uma celebridade, é atingir o público-alvo certo, no lugar certo. E o primeiro trabalho do advogado, ao começar a “atuar” na mídia social, é convidar seus clientes, os possíveis clientes com os quais já tem contato, os amigos e os parentes a segui-lo na rede.

A partir do momento que um “amigo” escreve um comentário, reproduções começam a se espalhar por toda a rede. Isso certamente vai acontecer se a postagem do advogado for suficientemente interessante ou de interesse de seu público-alvo.

Veja algumas informações obtidas pela pesquisa sobre a rede social no mundo (não em um país específico):

  • 2,8 bilhões de pessoas são usuários ativos da mídia social;
  • a penetração global da mídia social foi de 37% em janeiro de 2017 — um aumento de 22% sobre o mesmo período do ano anterior;
  • 28% frequentam um site (de mídia social); 24% frequentam dois sites; 16% frequentam três sites; 8% frequentam quatro sites; 4% frequentam cinco sites; 20% não frequentam mídia social alguma.

Facebook — o mais popular

  • Tem 1,9 bilhão de usuários únicos por mês;
  • Predominância feminina; 83% das mulheres on-line frequentam o Facebook; entre os homens, esse índice é de 75%;
  • É a melhor mídia social para atingir o público de 18 a 49 anos, que passa quase sete horas por semana nesta rede social;
  • 75% dos usuários passam pelo menos 20 minutos ou mais no Facebook todos os dias.

YouTube — melhor que TV

  • Tem 1 bilhão de usuários únicos por mês;
  • Predominância masculina: 55% dos homens on-line frequentam o YouTube; entre as mulheres o índice é de 45%;
  • O YouTube atinge mais pessoas nas faixas etárias de 18 a 49 anos do que qualquer rede de TV a cabo nos EUA;
  • São 2 milhões de visualizações de vídeos por minuto.

Instagram — em maior crescimento

  • São 600 milhões de usuários únicos por mês;
  • Predominância feminina: 38% das mulheres on-line usam o Instagram; entre os homens, índice é de 26%;
  • 90% dos usuários têm menos de 35 anos;
  • 53% dos usuários do Instagram seguem marcas.

Twitter — o mais saturado

  • São 317 milhões de usuários únicos por mês;
  • Predominância masculina: 22% dos homens on-line estão no Twitter, e 15% das mulheres on-line usam a rede;
  • Maioria está na faixa etária de 18 a 29 anos;
  • 53% dos usuários do Twitter dificilmente fazem postagens;
  • Usuários passam, em média, 2,7 minutos por dia no aplicativo móvel do Twitter.

Pinterest — visitas mais duradouras

  • 317 milhões de usuários únicos por mês;
  • Predominância feminina: capta 45% das mulheres on-line e 17% dos homens on-line;
  • O uso é mais frequente por pessoas de 18 a 64 anos;
  • Usuários do Pinterest são 10% mais propensos a fazer compras no e-commerce do que os usuários das outras redes;
  • Maior tempo de permanência na rede (seguido pelo Facebook e Twitter).

Linkedin — profissional e B2B

  • 100 milhões de usuários únicos por mês;
  • Predominância ligeiramente masculina: 31% dos homens on-line usam a rede, e 27% das mulheres on-line;
  • 45% das pessoas com renda superior a US$ 75 mil por ano usam o Linkedin; 21% das pessoas com renda inferior a US$ 30 mil por ano usam essa rede;
  • Os usuários do Linkedin são os que menos usam outras redes sociais.

Reddit — desordem organizada

  • 85 milhões de usuários únicos por mês;
  • Predominância masculina: 67% dos homens on-line e 33% das mulheres on-line usam o Reddit;
  • 64% dos usuários do Reddit têm menos de 30 anos;
  • Conteúdo de vendas é desencorajado; os frequentadores (ou redditors) são astutos e altamente protetores de suas comunidades.

 é correspondente da revista Consultor Jurídico nos Estados Unidos.

Revista Consultor Jurídico, 22 de março de 2017, 8h22

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 30/03/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.