Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Acesso bloqueado

Sites do TJ-SP, MP-SP e governo do estado saem do ar após ataque mundial

Por 

Um ataque cibernético mundial atingiu computadores do Tribunal de Justiça de São Paulo nesta sexta-feira (12/5) e fez a corte, o Ministério Público, o governo estadual e o Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região tirarem seus sites do ar.

Imagem publicada em grupo de funcionários do TJ-SP no Facebook.
Acervo pessoal

O TJ-SP afirmou, a princípio, que havia suspendido o site por precaução, pois não haveria registro de qualquer computador atacado, mas depois confirmou ter detectado “máquinas infectadas”. Servidores de fóruns na capital e no interior receberam avisos em computadores e publicaram imagens em redes sociais.

Globo News diz que passa de 70 o número de países atingidos. O ataque, conforme a emissora, embaralha informações digitais e cobra bitcoins (moeda digital) para que o usuário volte a acessar dados normalmente.

Aviso, em fórum de São José dos Campos, dá três dias para pagamento em bitcoins.
Acervo pessoal

Uma das mensagens recebidas no Judiciário paulista fixa três dias para o pagamento. “Depois disso o preço será dobrado. Além disso, se você não pagar em 7 dias, você não será capaz de recuperar seus arquivos para sempre”, diz o texto, em português. “Ninguém pode recuperar seus arquivos sem o nosso serviço de descriptografia.”

A corte paulista suspendeu prazos processuais, mas garante que o expediente é normal, inclusive para advogados que precisarem de informações.

O tribunal e o MP-SP determinaram que todos os fóruns, prédios do Judiciário paulista e promotorias mantenham computadores desligados nesta sexta. Já o TRT-2 afirma que apenas suspendeu o site temporariamente, de forma preventiva, mas as atividades continuam normalmente. Pelo menos dez tribunais do país seguiram essa estratégia.

Risco
No caso do Judiciário paulista, existe maior risco aos computadores de usuários contaminados por vírus, e não ao banco de dados geral, de acordo com Rafael Stabile, gerente de Operações da Softplan (empresa responsável pelo portal e-Saj). 

Comunicado enviado pelo TJ-SP a servidores.
Reprodução

Segundo ele, o sistema de segurança no tribunal tem várias barreiras para impedir acesso de terceiros aos dados processuais.

Segundo o jornal Folha de S.Paulo, ao menos 16 hospitais públicos do Reino Unido tiveram computadores bloqueados, e também há relatos de problemas em países como Rússia, Japão, Turquia, Filipinas e Alemanha.

* Texto atualizado às 19h35 do dia 12/5/2017 para acréscimo de informações.

 é repórter da revista Consultor Jurídico.

Revista Consultor Jurídico, 12 de maio de 2017, 15h15

Comentários de leitores

2 comentários

Mais que apenas lobby

Bruno Kussler Marques (Advogado Autônomo - Internet e Tecnologia)

O vírus se utiliza de uma "falha" que existe no sistema Windows para se propagar e que foi divulgado com o recente vazamento de dados da CIA, ou seja, é uma falha que já era conhecida a tempos e que foi mantida deliberadamente aberta para permitir a invasão de sistemas por parte da CIA. Enquanto isso tem gente no Brasil defendendo que os softwares de comunicadores criem "portas dos fundos" que são basicamente a mesma coisa.

O que existe é lobby do software proprietário

Marcos Alves Pintar (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Parece que não existe ataque algum, mas sim uma previsível e esperada falha no protocolo de compartilhamento de rede da Microsoft, somando-se a centenas de outras falhas ao longo dos anos. Os administradores sabiam da falha, e devido à falta de ética na atuação não adotaram nenhuma medida. De qualquer forma, mais uma sexta-feira sem trabalho em órgão públicos paulistas, ao custo de centenas de milhões de reais para o contribuinte.

Comentários encerrados em 20/05/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.