Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Agenda lotada

Fachin estica até sexta prazo para Temer responder a perguntas da Polícia Federal

O presidente Michel Temer (PMDB) ganhou mais tempo para responder às 82 perguntas da Polícia Federal sobre a relação dele com empresário Joesley Batista, do frigorífico JBS, o ex-deputado Rocha Loures e outros investigados em desdobramentos da operação “lava jato”. O prazo, que se encerraria na tarde desta terça-feira (6/6), foi prorrogado até as 17h da próxima sexta (9/6).

Michel Temer disse que não conseguiria responder questões até esta terça.
Fabio Rodrigues Pozzebom/ Agência Brasil

O ministro Edson Fachin, do Supremo Tribunal Federal, reconheceu o curto período definido anteriormente: 24 horas a partir do recebimento. Segundo o presidente, não era possível abandonar a “carregada agenda, marcada por compromissos que lhe tomam mais de 15 horas por dia”.

A peça foi assinada pelos advogados Antônio Cláudio Mariz de Oliveira, Jorge Urbani Salomão e Brian Alves Prado. Eles declaram que Temer “não poderia deixar de responder a quaisquer das perguntas, no afã de repor a verdade dos fatos”.

Temer é investigado no Supremo por corrupção passiva e obstrução de investigações. Ele é acusado de incentivar o pagamento de R$ 500 mil ao ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) para que não faça delação premiada. Os indícios são baseados em gravação do delator Joesley Batista, que foi recebido pelo presidente no Palácio do Jaburu, no período noturno, fora da agenda oficial. Para a defesa, houve edição e manipulação no arquivo de áudio.

Clique aqui para ler as perguntas da PF a Temer.
INQ 4.483

Revista Consultor Jurídico, 6 de junho de 2017, 19h00

Comentários de leitores

3 comentários

Corrijindo.....

hammer eduardo (Consultor)

Quem esticou o prazo foi o Nobre Ministro Fachin , o Ministro Benjamin apenas toca a encrenca no TSE.

De qualquer maneira o "porteiro" continuará dentro do caldeirão de feijoada aguardando uma "bala de prata" para salva-lo do merecido machado....

è o escarnio continuado com a inteligencia da maioria

hammer eduardo (Consultor)

Fecho com o raciocínio certeiro do Dr.Storer acima .

Infelizmente teremos que engolir esse teatrinho barato do julgamento no TSE já com o "chacrinha" aparecendo com sua discrição de um Hipopotamo numa loja de cristais conforme a tv esta mostrando .

A bolsa de apostas também sinaliza de forma nojentamente clara sobre a possibilidade muito concreta de algum "ministru amigo" pedir vistas e empurrar tudo para a próxima reencarnação que seria o objetivo de uma boa parte deles.
O Ministro Herman Benjamin tem deixado bem clara sua posição legalista contra a grande pizza que esta sendo armada em nome de uma pretensa "governabilidade" , isto numa republica de bandidos de paletó e gravata onde diariamente elementos engravatados são encarcerados com uma frequência que causaria temores democráticos em qualquer parte do planeta , por aqui já Nos acostumamos ao odor fétido do chorume por parte dos ratos de cabelo acaju . Já que o Nobre Ministro atenciosamente concedeu mais prazo para o "porteiro do castelo mal assombrado" dar um polimento na sua historinha furada da carochinha junto a seus divogadios pagos a peso de ouro, vamos ver o que vai se produzir de ENROLATION da melhor qualidade ate o final da semana.
Sugiro contratarem para tal Pessoas com bom transito no Além e outras dimensões paralelas como o magico Mandrake, Mister M , ou quem sabe ate o João Canabrava do Multishow.
Aguardemos portanto a conclusão deste espetáculo patético com todo mundo fantasiado de "urubu rei" tentando enrolar a patuleia.
Madame Morgana que tudo vê Me deu a dica que poderia ser um Ministro com farta cabeleira branca que seria o escalado para as "vistas"

Agenda lotada?

WLStorer (Advogado Autônomo - Previdenciária)

Se for para responder somente com a verdade, no máximo, 5 minutos, visto que a maioria da respostas seria tão somente "sim".

Comentários encerrados em 14/06/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.