Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

"Decisão política"

Conselho do MPF aprova aumento de 16% para procuradores da República

O Conselho Superior do Ministério Público Federal decidiu, nesta terça-feira (25/7), aumentar em 16,7% o salário dos procuradores da República. A decisão atende a uma reivindicação da categoria que vinha se intensificando desde o início do ano. De acordo com o CSMPF, o impacto do aumento será de R$ 116 milhões. Não foi definida a origem do dinheiro. Na mesma sessão, o colegiado aprovou orçamento de R$ 3,8 bilhões para o MP Federal.

A dois meses de deixar a Procuradoria-Geral da República, Rodrigo Janot votou a favor do aumento, mas disse que tratava de “decisão política” de sua sucessora, Raquel Dodge.

Segundo informações da Agência Brasil, existe a possibilidade de os novos salários do MPF ultrapassarem o teto do funcionalismo público, equivalente ao salário dos ministros do Supremo Tribunal Federal. É que a corte decidiu não encaminhar qualquer proposta de aumento ao Congresso neste ano. Os ministros hoje ganham R$ 35,9 mil.

Janot e Dodge se comprometeram a montar um grupo de transição entre suas administrações, que ficará responsável por apontar onde serão feitos os cortes para permitir o aumento. A proposta de orçamento para 2018 será encaminhada ao Ministério do Planejamento, que verificará a legalidade dos pedidos e enviará o texto ao Congresso.

Revista Consultor Jurídico, 25 de julho de 2017, 18h00

Comentários de leitores

19 comentários

I m o r a l i d a d e

Contribuinte Sofrido (Outros)

É, os paladinos da moralidade desconhecem essa palavra quando partem prá cima de nossa grana(são nossos impostos né?). São insaciáveis, pois jamais respeitaram o teto previsto no artigo 37, XI da CR/88, que já é um baita salário em qualquer lugar do mundo. Moralidade? Ah! Aquele principiozinho insculpido no caput do artigo mencionado? Penso que nunca ouviram falar. Pelo menos quando se fala em inflar rendimentos que faz com que todos os meses o líquido seja maior que o bruto.
Acho que devíamos voltar à monarquia, pois ficaria bem mais em conta manter aqueles nobres do que essa ARISTOCRACIA que se tornou o MP, o judiciário e quejandos.

I m o r a l i d a d e

Contribuinte Sofrido (Outros)

É, os paladinos da moralidade desconhecem essa palavra quando partem prá cima de nossa grana(são nossos impostos né?). São insaciáveis, pois jamais respeitaram o teto previsto no artigo 37, XI da CR/88, que já é um baita salário em qualquer lugar do mundo. Moralidade? Ah! Aquele principiozinho insculpido no caput do artigo mencionado? Penso que nunca ouviram falar. Pelo menos quando se fala em inflar rendimentos que faz com que todos os meses o líquido seja maior que o bruto.
Acho que devíamos voltar à monarquia, pois ficaria bem mais em conta manter aqueles nobres do que essa ARISTOCRACIA que se tornou o MP, o judiciário e quejandos.

Serpico Viscardi (Professor)

Observador.. (Economista)

Dois erros, ou dez, ou um milhão de erros....jamais se transformarão em um acerto.

Ver todos comentários

Comentários encerrados em 02/08/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.