Consultor Jurídico

Notícias

Você leu 1 de 5 notícias liberadas no mês.
Faça seu CADASTRO GRATUITO e tenha acesso ilimitado.

Críticas ao setor

Superintendência-Geral do Cade aprova com ressalvas compra do Citibank pelo Itaú

A compra do Citibank pelo Itaú foi aprovada pela Superintendência-Geral do Conselho Administrativo de Defesa Econômica. Porém, a operação foi condicionada à celebração de um Acordo em Controle de Concentrações (ACC) com o órgão regulador.

Os dois bancos concordaram em celebrar o ACC, e a decisão foi publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (12/7). Agora, o parecer será analisado pelo Tribunal do Cade, que pode acolher a recomendação da Superintendência-Geral ou adotar outras medidas previstas na Lei 12.529/11.

Entre as possibilidades estão aprovação da operação, reprovação ou ainda a adoção de outros remédios concorrenciais que afastem os problemas identificados. Segundo o Cade, os termos foram negociados para afastar a possibilidade dos clientes do Citibank serem prejudicados com a operação. O caso será relatado no tribunal pelo conselheiro Paulo Burnier.

Ao aprovar a aquisição do Citibank pelo Itaú, Superintendência-Geral do Cade destacou que o mercado bancário brasileiro tem pouca concorrência.
Reprodução

Apesar da aprovação, a Superintendência-Geral afirmou estar preocupada com as constantes operações de aquisição empreendidas pelo Itaú no mercado financeiro como um todo.

Isso porque a fatia de mercado da instituição financeira estaria se tornando muito grande nos mercados em que já atua, assim como o portfólio de serviços oferecidos pelo grupo econômico.

Ao exigir o ACC, a superintendência destacou que o mercado bancário brasileiro tem problemas competitivos, como baixa portabilidade, elevado spread bancário e altos índices de reclamação em relação à qualidade dos serviços. Por causa disso, o órgão analisou se a operação aumentaria esses problemas, mas viu que não existiriam efeitos, pois a participação de mercado do Citibank é pequena.

Embora o banco esteja no país há mais de cem anos, a instituição tem 1% do total de ativos e depósitos do setor. Foram considerados na análise serviços como depósito à vista e a prazo, crédito ao consumidor e cartão de crédito, entre outros, para avaliar a sobreposição entre as partes envolvidas na operação.

Leia a publicação no Diário Oficial da União:

Ato de Concentração nº 08700.001642/2017-05. Requerentes: Itaú Unibanco Holding S.A. e Banco Citibank S.A. Advogados: Barbara Rosenberg, Eduardo Caminati Anders e outros. Nos termos do art. 13, X, e art. 57, II, da Lei nº 12.529/11, c/c o art. 165 do Regimento Interno do Cade, ofereço impugnação da presente operação ao Tribunal e recomendo sua aprovação, condicionada à celebração do Acordo em Controle de Concentrações proposto pelos Requerentes. Ao Setor  Processual."

Com informações da Assessoria de Imprensa do Cade.

Revista Consultor Jurídico, 13 de julho de 2017, 15h54

Comentários de leitores

0 comentários

Comentários encerrados em 21/07/2017.
A seção de comentários de cada texto é encerrada 7 dias após a data da sua publicação.